ASSINE

Mãe diz que menina de 4 anos picada por escorpião está fora de risco

Esther Castro de Jesus já respira sem aparelhos e teve a sedação retirada há dois dias. Ela, contudo, segue sem falar e internada na UTI do Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, em Vitória

Publicado em 28/08/2020 às 14h51
A imagem mostra Esther sorrindo, encostada em uma parede
Esther Castro de Jesus, de 3 anos, foi picada por um escorpião em Linhares. Crédito: Arquivo pessoal

Após mais de uma semana acompanhando a filha internada na unidade de terapia intensiva, em estado grave, por conta de complicações decorrentes da picada de um escorpião, a mãe da menina Esther Castro de Jesus, de apenas 4 anos, está mais aliviada. Isso porque a menina não corre mais risco de vida, segundo informado pela equipe médica que cuida da pequena no Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, em Vitória.

Em conversa com a reportagem de A Gazeta na manhã desta sexta-feira (28), Isamoa de Souza Castro, disse que a filha segue na UTI, mas teve ótima evolução clínica e o caso dela não é mais tratado como grave.

"Graças a Deus ela está fora de risco, está bem. Eu que terei de ter paciência em aguardar ela se recuperar, afinal foram oito dias sedada, dormindo. Então não será da noite para o dia. Levará um tempo para ela voltar", explicou a mãe.

AINDA SEM FALAR

Evoluindo a cada dia – desde a noite de quarta-feira (26), Esther já respira sem aparelhos e teve a sedação retirada, a menina ainda não conversa com a mãe e se comunica apenas por pequenos gestos. Um cenário normal e que não preocupa, disse Isamoa.

"É muita aflição e ansiedade à espera de ouvir ela me chamando de mamãe de novo. Desde que acordou, não falou absolutamente nada ainda, apenas observa. Isso vai levar uns dias para passar. Os médicos e enfermeiros disseram que é normal e tenho de ter paciência. É uma evolução gradativa porque embora não mais sedada, a medicação ainda faz efeito no corpo dela", detalhou a mãe.

SEM PREVISÃO

Por mais que o pior cenário já tenha passado, Esther ainda não tem previsão de alta médica e nem mesmo para deixar a UTI. A mãe foi informada pela equipe do hospital que a menina apenas será transferida para a unidade semi-intensiva quando a ação dos sedativos acabarem por completo. Além disso, a criança ainda se recupera da retirada dos tubos de respiração mecânica.

Esther está internada no Hospital Infantil, na capital capixaba, desde o último dia 20 de agosto, quando veio transferida da Unidade de Pronto-Atendimento de Linhares. Na cidade ao Norte do Estado, ela foi picada em um dedinho da mão direita um dia antes por um escorpião, quando brincava no quintal da casa da avó. Pouco antes do almoço, a menina apresentou vômitos, teve convulsão e foi levada às pressas para a UPA do município.

Mais calma, Isamoa disse que vive agora a expectativa de voltar para Linhares com a filha plenamente recuperada. "Meu maior desejo, é voltar pra casa e com ela bem. Só isso que eu quero", finalizou a mãe.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.