ASSINE

Enem 2020: o que vale estudar de hoje até o dia da prova?

As provas acontecerão no próximo mês. Professores ouvidos por A Gazeta apontam conteúdos chaves para quem quer aproveitar a reta final de preparação

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 22/12/2020 às 14h45
Divulgado edital com as regras da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 impresso
O Enem 2020 começa a ser aplicado no dia 17 de janeiro: é hora de revisar os principais conteúdos. Crédito: Futura Press/Folhapress

As próximas quatro semanas serão preciosas para os candidatos que buscam um resultado positivo nas provas do Enem 2020. Para quem vem se preparando há um ano, mesmo em meio à pandemia do coronavírus, é hora de revisar os principais conteúdos apontados abaixo por professores à reportagem de A Gazeta. O primeiro dia do exame será em 17 de janeiro. 

Já o candidato que decidiu  correr atrás do prejuízo em um mês, também pode aproveitar  as dicas sobre o que mais vale a pena estudar nesta etapa. Confira e bons estudos! 

HISTÓRIA

A área de conhecimento de Ciências Humanas tem como principais disciplinas História e Geografia, mas também contam com Filosofia e Sociologia.

Em História, o candidato não deve se preocupar em decorar o conteúdo, como explica o professor da disciplina na Escola Monteiro, Márcio Vaccari. “O Enem trata de temas e não conteúdos para cobrar sua capacidade de memorização. O aluno não precisa saber o fato, decorado, mas sim ter o entendimento do contexto”, pontua.  Vaccari aponta que a prova reúne questões de História do Brasil e Geral.

História do Brasil:  

  • De Repúblicas até a contemporaneidade;
  • Segundo Reinado;
  • Governos pós-ditaduras;
  • Repúblicas Oligárquicas  

História Geral:

  • Segunda Guerra Mundial
  • Idade Moderna
  • Revolução Industrial
  • Grandes Navegações
  • Iluminismo

GEOGRAFIA

Mariana Ramos,  professora do Curso Preparatório AfirmAção, diz que Geografia possui uma ampla capacidade de se misturar a questões de outras disciplinas e, por isso, é importante o candidato estar atento a todo o enunciado de cada questão. 

"O ideal é estudar todo o conteúdo, mas como não dá tempo, podemos pontuar os que são recorrentes e que, em sua maioria, possuem interdisciplinariedade  com Física e Biologia, por exemplo", observa a professora. Ela relaciona os seguintes itens obrigatórios:

  • Questões ambientais (que geralmente são multidisciplinares): fenômenos físicos, consequências socioeconômicas, impactos ambientais
  • Agropecuária;
  • Fases do capitalismo;
  • Urbanização;
  • Revoluções industriais
  • Migrações: tanto as mais recentes quanto as mais antigas, e também migrações internas, incluindo os refugiados. 
  • Comércio e globalização

MATEMÁTICA

Com uma das áreas de conhecimento só para ela, Matemática e Suas Tecnologias é uma disciplina com fama de difícil entre os candidatos.

O professor da disciplina no Colégio Salesiano, Luciano Fonseca, diz que o nível de dificuldade das questões de exatas tem aumentando a cada edição, mas os conteúdos que mais caem não mudam muito com o passar dos anos. Veja os itens que são apostas na área:

  • Proporcionalidade;
  • Números decimais;
  • Frações;
  • Estatísticas: média, mediana, desvio padrão e variante;
  • Geometria plana;
  • Geometria espacial.

"A prova de matemática é quase que previsível. Para o aluno que não é exatas, nada de estudar os assuntos mais complexos como logaritmo ou funções quadradas, pois não vai aprender esse conteúdo se sempre apresentou dificuldade, sem falar que são temas  de um número bem pequeno de questões. É preciso rever matemática básica", orienta o professor Luciano. 

Tubos de ensaio para uma preparação química
A área de Química é bastante abrangente, mas são esperados temas como soluções e separação de misturas. Crédito: Retha Ferguson/Pexels

QUÍMICA

Química integra com Física e Biologia as disciplinas que se comunicam na área de Ciências da Natureza cobradas no Enem.  Com muitas áreas de aplicação, é difícil  resumir o que se tem de mais certo para cair na prova, com exceção de "sabão e detergente". Não entendeu? Jorginho Botti, professor da disciplina no Centro Educacional UP, explica. 

"É uma comparação que sempre cai nos exames do Enem, pois também dialoga com outros temas, como sustentabilidade,  saber se é biodegradável, qual é mais eficiente, se são naturais ou danosos ao meio ambiente. Na química, é trabalhado quanto a íons, cátions e composição", descreve Jorginho.  

Química Geral:

  • Separação de misturas;
  • Ligações Químicas em geral;
  • Cálculos estequiométricos;
  • Oxirredução.

Físico-Química

  • Soluções; 
  • Termoquímica; 
  • Princípio de Le Chatelier,
  • Equilíbrio iônico,
  • Eletroquímica (pilhas e eletrólise).

Química Orgânica

  • Funções orgânicas;
  • Isomeria;
  • "Sabão e detergente"; 
  • Reações orgânicas;
  • Polímeros.

FÍSICA

Em Física, fazer provas anteriores é uma boa vantagem para reavivar a memória. "Tem alguns conteúdos nesta matéria que são extremamente recorrentes, quase garantia de questões", aponta Fred Lama, professor da disciplina no Centro Educacional UP. Atenção a essas dicas. 

  • Fenômenos ondulatórios - refração, difração, interferência, polarização e efeito doppler;
  • Circuitos elétricos;
  • Potência térmica.

Mas o professor diz que o "pulo do gato" em Física não é decorar fórmulas. "O Enem está  cobrando questões de conhecimento de Física com cada vez menos aplicações de equações. Cerca de 70% da prova é de teoria, e não de cálculo. O aluno precisa mostrar que conhece o fenômeno físico", ressalta. 

Coronavírus, covid-19
Devido à pandemia da Covid-19, questões relacionadas a viroses podem cair na prova de Biologia. Crédito: Pixabay

BIOLOGIA

Em um ano de pandemia,  o professor de Biologia,  Marco Bravo, aposta que o assunto virose estará em alta. "Acredito que haverá questões relacionando o vírus ao meio ambiente e ao comportamento humano, tornando o assunto interdisciplinar com Geografia e Sociologia.  As formas de contaminação e o impacto na economia também são assuntos que comportam mais de uma matéria", atesta Bravo, que é atua na Escola Monteiro. Acompanhe sugestões do  professor:

  • Sustentabilidade 
  • Impactos ambientais (mudanças climáticas, desmatamento, uso de combustíveis fósseis, veículos elétricos, novas tecnologias de uso de combustíveis);
  • Queimadas;
  • Água e o risco oferecido pelo desmatamento;
  • Resíduos sólidos (lixo, contaminação de oceanos, degradação, resíduos no corpo humano,  comportamento humano);
  • Viroses (comparação entre outras pandemias e epidemias, contaminação);
  • Saneamento básico;
  • Zoologia (artrópodes, anelídeos, cordados);
  • Genética (paridade);

LINGUAGENS

A área de conhecimento de Linguagens reúne conteúdos de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira (espanhol ou inglês) e produção textual, a famosa Redação.

Aline Moraes, professora de produção textual e coordenadora de Linguagens do Colégio Marista  Nossa Senhora da Penha, de Vila Velha, dá dicas de como se resolver em Literatura.

"Às vésperas da prova como estamos, vale até mesmo o resumo da internet. O ideal é ler os livros, até porque a leitura de qualidade tende a trazer uma certa vantagem para este participante, pois ele tende a desenvolver uma visão mais crítica do que aquilo que a massa reproduz no exame", analisa Aline. 

Literatura

  • Livro "Quarto de despejo: Diário de Favelada" da autora Maria Carolina de Jesus;
  • Centenário de Clarisse Linspector;
  • Carlos Drummond de Andrade e suas obras
  • Crítica com tirinhas de Mafalda, devido à morte do criador Quino, neste ano; 

Gramática

  • Concordância; 
  • Regência;
  • Uso de acento grave (crase), 
  • Acentuação, 
  • Aspectos textuais: coesão e coerência.

REDAÇÃO

Aqui não tem para onde correr, a prática ainda é a melhor dica para uma boa redação. O candidato tem  que escrever de forma clara e objetiva, atendendo a cinco competências avaliadas no Enem: 

  • Gramática;
  • Texto;
  • Coerência;
  • Coesão.
  • Proposta de solução. 

"O Enem trabalha com quatro eixos: social, político, cultural e científico. O científico nunca caiu na prova do Enem. Ciência e tecnologia é um assunto que foi muito falado durante o ano devido às dificuldades, e à necessidade  de investimento em pesquisa e até na educação a distância. Acredito que pode ser tema de redação ou algo ligado  a essa proposta", acredita Lúcio Manga, professor de Redação na Escola Monteiro e no Leonardo da Vinci. 

A sugestão do professor é ler sites de notícias para reunir argumentos, e trabalhar com as referências durante o texto, como História, Filosofia e até Cinema. 

"Também acredito que podem ser explorados temas como a gravidez na adolescência e saúde mental e suas ramificações na ciência, sociedade, cultura e política. Lembrando que todo participante tem que estar ciente que precisa apresentar um proposta de solução para o problema; isso também pontua durante a correção", alerta Manga.

  O professor finaliza com uma dica para os alunos que farão Enem, mas serve para quem também não vai prestar o exame.  "É preciso ter tranquilidade. Já passamos por uma dificuldade muito grande, precisamos entender esse processo,  buscar um momento de paz de espírito. O momento ainda é de paciência, pois infelizmente vivemos esse momento tão difícil", afirma Manga, numa referência à pandemia. 

Educação Enem Ensino Superior

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.