ASSINE

Depois de dias com muita dor, o alívio por ter sido curada da Covid

A influencer Larissa Puppim relata momentos de sofrimento decorrentes da doença: "Estava desesperada, não aguentava mais", conta

Publicado em 09/08/2020 às 20h40
Atualizado em 10/08/2020 às 08h17
Todo dia um milagre: Larissa Puppim
A influencer Larissa Puppim teve episódios de dor de cabeça bastante intensa devido à Covid-19. Crédito: Acervo pessoal/Arte Geraldo Neto

Numa manhã de domingo de junho, a influencer Larissa Puppim acordou sentindo-se mal, com dores no corpo e na cabeça. Num primeiro momento, imaginou que pudesse ser uma crise de sinusite, e chegou a fazer inalação para aliviar os sintomas, mas não adiantou. No dia seguinte,  prostração e muito cansaço. Era o começo de uma longa semana de muitas dores, e de pensar que iria morrer, até que tudo se acalmou e, enfim, obteve o alívio pela cura da Covid-19

Larissa conta que, ao perceber uma febre persistente, decidiu procurar atendimento no hospital. Chegando lá, diz ela, foi "ladeira abaixo", sentindo muita dor, febre alta e também já não tinha olfato - sinal característico da infecção pelo coronavírus. A influencer mostrava-se um pouco aflita com a situação, pois seu irmão estava internado na UTI com a Covid-19. 

Levada a fazer um raio-x, que indicou infecção no pulmão, Larissa passou também por uma tomografia que confirmou o comprometimento de 25% do órgão. O diagnóstico positivo para a doença, após exame laboratorial, saiu dias depois, quando a influencer apresentava um quadro agudo de mialgia.

"A minha dor de cabeça aumentou absurdamente. Foi o pior sintoma que tive. Travei meu pescoço, fiquei cinco noites sem dormir, foi horrível", lembra. 

Ela tinha sido orientada a tomar uma medicação, desse grupo alvo de polêmica por não ter comprovação de eficácia contra a Covid-19, e estava no último dia do tratamento quando voltou ao hospital porque as dores ainda eram muito intensas. "Eu estava desesperada, não aguentava mais", relata. 

Na unidade, recebeu outro remédio, conseguiu relaxar e foi para casa. "Deitei e, quando deu 5 horas, acordei com a pior crise de enxaqueca da vida inteira. Eu só pensava: 'se eu não melhorar dessa, Deus pode me levar.' Fiquei desfalecida de dor. Não sei se foi a medicação ou o vírus, mas eu rezava para tudo aquilo passar porque não estava suportando", recorda Larissa. 

Depois de dias de sofrimento, finalmente as dores foram diminuindo até a plena recuperação. A influencer avalia que tudo tem um propósito, e o que vivenciou lhe serviu como lição para a vida. 

"É como uma provação. Acredito que tudo acontece para a gente evoluir, enxergar as coisas com outros olhos. É claro que não tive no hospital entre a vida e a morte como muitos, mas tudo tem um porquê. Graças a Deus eu pude me curar, Deus me deu a oportunidade de estar aqui, viva", valoriza Larissa Puppim.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.