ASSINE
Maria Luiza e Natália: duas meninas pretas e vítimas de preconceito devido à cor da pele e ao cabelo crespo
Maria Luiza e Natália: duas meninas pretas e vítimas de preconceito devido à cor da pele e ao cabelo crespo. Crédito: Fernando Madeira

Cabelo crespo: como escolas podem ajudar a combater atitudes racistas

A educação antirracista deve estar na política pedagógica das unidades de ensino, mas também ser a conduta nas famílias e em outros espaços, como igrejas e clubes

Tempo de leitura: 12min
Vitória
Publicado em 01/06/2022 às 11h06

Para ler essa matéria, junte-se a nós!

Conteúdo exclusivo para assinantes

R$ 1,99

* nos 6 primeiros meses. Depois pague R$ 19,90

Você pode cancelar quando quiser

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.