ASSINE

Após acidente, pedreiro de Guaçuí vira artista com desenhos realistas

Sem poder trabalhar na antiga profissão devido ao acidente de moto que sofreu em 2019, Bruno Araújo de Souza, 24, aprimorou sua técnica vendo vídeos de outros artistas nas redes sociais

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 17/11/2021 às 16h30

Após sofrer um acidente de moto em 2019, em Divino de São Lourenço, na Região do Caparaó, o pedreiro Bruno Araújo de Souza redescobriu uma habilidade adormecida: a produção de desenhos realistas. O jovem, que atualmente está com 24 anos, aprimorou sua técnica vendo vídeos de outros artistas e  já recebe até encomendas de moradores da região.

Pedreiro desenvolve talento com desenho realista após sofrer acidente
Pedreiro desenvolve talento com desenho realista após sofrer acidente. Crédito: Reprodução | Instagram @bruno_souza_art

Bruno explicou que, devido ao grave acidente, passou por quatro cirurgias na perna e ficou acamado por meses. “Desenho desde criança, mas como acabei ficando cinco meses sem poder pisar no chão, comecei a ver vídeos nas redes sociais e a aprimorar a técnica, melhorar o traço”, contou.

O artista ainda está em recuperação e atualmente mora em Guaçuí, município também localizado no Caparaó. Sem poder trabalhar na profissão antiga devido ao acidente que sofreu, Bruno utiliza folhas de papel nos tamanhos de A2, A3 ou A4, e, para desenhar, caneta esferográfica azul, nanquim ou grafite, ao criar os desenhos realistas. Ele recebe encomendas para reproduzir fotos de casais, de animais de estimação e de personagens de quadrinhos, como mangás.

Este vídeo pode te interessar

As artes produzidas têm valores variados — dependendo de cada peça — e custam, em média, cerca de R$ 150. “Posto meus trabalhos em meu Instagram (@bruno_souza_art). Segundo os médicos, não devo voltar a trabalhar mais com obras e devo ser recolocado em outra profissão. Os desenhos podem ser um novo caminho profissional e sou muito grato a Deus por isso, por estar vivo após o acidente’, disse o profissional.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.