ASSINE

Agricultor do ES monta minicaminhão para poder trabalhar na roça

Cézar Kuster enfrentou dificuldades financeiras e burocráticas para comprar uma tobata e achou uma solução criativa; ele monta seus próprios veículos desde a década de 1990

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 10/06/2022 às 17h56

Sem dinheiro suficiente nem tempo para enfrentar a burocracia do banco, o agricultor Cézar Kuster precisou achar uma solução criativa para conseguir melhorar o próprio trabalho e decidiu arriscar os conhecimentos em mecânica para construir seu próprio veículo, uma espécie de minicaminhão. O resultado deu tão certo que ele usa o automóvel há quase três décadas na lavoura em Domingos Martins e até já vendeu outros exemplares para conhecidos da Região Serrana do Espírito Santo.

O primeiro dos automóveis foi construído no final da década de 1990, na tentativa de substituir uma tobata — espécie de minitrator utilizado na agricultura. Para dar vida à criação, o criador usou um chassi de Kombi e um motor Toyama de 30 hp usado e a diesel, na época comprado por R$ 1 mil.

Cézar Kuster

Agricultor

"Se hoje me oferecerem uma 'tobata' para trabalhar, eu não quero. Esse é muito mais fácil de dirigir, mais rápido e 'curva' em qualquer lugar"

Para quem não entende muito do assunto, Cézar explicou que a tobata é dirigida por meio de um guidão específico e costuma chegar somente a 20 km/h. "Já o que fiz tem um volante comum e deve chegar a quase 50 km/h. É muito mais fácil de dirigir e mais rápido e econômico, porque é levinho", garantiu.

40 km/litro

É o que o minicaminhão do Cézar Kuster faz, em média, com diesel

Nascido e criado na roça, o agricultor usa o minicaminhão diariamente na lavoura, de onde saem mais de 100 sacas de café por ano e dezenas de caixas de banana toda semana. No entanto, da propriedade em São Miguel só saíram cerca de 20 unidades do automóvel ao longo das últimas décadas.

"Não tenho interesse de fazer para vender, porque mexo com uma porção de coisas e não dá tempo. Fiz para solucionar um problema meu, para mim. Quando o pessoal vem e pede, às vezes eu faço. Até hoje só fiz para algumas pessoas que eu conheço, aqui da nossa região mesmo", explicou Cézar.

"Minicaminhão" criado por agricultor capixaba

"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal
"Minicaminhão" foi montado em substituição à "tobata" que o agricultor Cézar Kuster não tinha dinheiro para comprar. Acervo pessoal

TUK TUK: NOVA VERSÃO DO MINICAMINHÃO

Depois da primeira aventura dar certo, Cézar Kuster decidiu se arriscar uma segunda vez e agora está feliz com o que apelidou de "tuk tuk": um veículo parecido com o mini caminhão, mas que possui apenas uma roda dianteira — e que, segundo ele, conseguiu ser ainda melhor que o antecessor.

"Eu fiz tem uns três meses para testar, mas hoje se eu for fazer, faço outro com três pneus, porque ele é mais curto que o outro e a gente consegue 'curvar' mais com ele. Ele dá um pouquinho mais de trabalho, por causa da instalação da direção, mas vale a pena", comentou o criador.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Domingos Martins Tecnologia Região Serrana Agricultura Capixaba

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.