ASSINE

Em foto ao lado da família, Contarato agradece apoio após episódio na CPI: "Homofobia não Passará"

Senador capixaba também usou as redes sociais neste domingo (3) para reafirmar que, no núcleo familiar, "encontro a força necessária para seguir"

Publicado em 04/10/2021 às 19h37
Fabiano Contarato ao lado do marido e dos filhos: luta contra a homofobia
Fabiano Contarato ao lado do marido e dos filhos: luta contra a homofobia. Crédito: Reprodução/ Twitter @contaratosenador

Senador mais votado do Espírito Santo nas Eleições de 2020, Fabiano Contarato usou as redes sociais neste domingo (3) para agradecer o apoio que vem recebendo, dentro e fora da web, após um episódio na CPI da Covid-19 em que rebateu ataques homofóbicos vindo do empresário bolsonarista Otávio Fakhoury.

Em foto ao lado dos filhos e do marido, o fisioterapeuta Rodrigo Groberio, Contarato escreveu: "Com eles eu encontro a força necessária para seguir! E, mais do que nunca, gostaríamos de agradecer pelo apoio que recebemos nos últimos dias", pontuou, reafirmando um desejo.

"Nosso sonho é que nenhuma outra família tenha que passar pelo que passamos. Homofobia não passará! Com amor e coragem, seguiremos!".

Na última quinta-feira, 30 de setembro, Fabiano Contarato virou assunto ao mostrar, durante a CPI da Covid-19, uma mensagem no Twitter escrita por Otávio Fakhoury, que estava em Brasília para depor.

No microblog, Fakhoury usou um erro de grafia do senador, que empregou a palavra "fragrancial" em vez de "flagrancial", para fazer um ataque homofóbico. 

"Pegou um Twitter meu, com erro de grafia, e falou isto. O senhor não é adolescente. A sua família não é melhor que a minha", disse, acrescentando: "O que leva o senhor, que tem filho, qual a imagem, quanto pai, quanto esposo, vai passar para seus filhos? Isso é obedecer ao princípio da legalidade. Porque o Supremo Tribunal Federal, o mesmo que o senhor defende extinguir, criminalizou a homofobia comparando-o ao racismo", declarou, na ocasião, afirmando seus valores familiares.

"O senhor pode ter todo o dinheiro do mundo. Tenho minha vida modesta com muito orgulho, cuidando da minha família, meu esposo, meus dois filhos. Eu quero que eles tenham a certeza de que lutei, continuo lutando para diminuir essa desigualdade no Brasil. Eu aprendi que orientação sexual não define caráter, cor da pele não define caráter, poder aquisitivo não define caráter", complementou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.