ASSINE

Dan Abranches vive o sonho do "The Voice": "Maravilhoso"

Cantor capixaba é o novo queridinho de Lulu Santos e segue na batalha do reality da Globo

Publicado em 16/08/2019 às 08h23
Atualizado em 24/08/2019 às 12h24
 . Crédito: TV Globo/Reprodução
. Crédito: TV Globo/Reprodução

O nosso Dan Abranches, de 28 anos, bombou na TV e na web na noite desta quinta-feira (15), quando surgiu no "The Voice Brasil" soltando a voz com "Believer", hit de Imagine Dragons. E não é para menos ele ter encantado todo mundo, inclusive seu atual técnico, Lulu Santos: o cantor começou na música aos 15 anos e quer - no reality musical da Globo - poder levar seu trabalho a todo o público possível.

Dan Abranches, cantor

Uma amiga me inscreveu. Eu fui sendo aprovado nas fases e estava em Portugal quando eles me ligaram para falar que eu tinha passado. Então, voltei

Prestes a lançar o terceiro disco (já tem dois EPs gravados com banda e outros dois solo), Dan conta que agora é hora de dar uma pausa para se dedicar ao programa, mas sem esquecer dos fãs que já possui. Ainda nas próximas semanas, o cantor quer voltar a marcar shows para divulgar suas composições: "Sempre gostei de compor. E cantei 'Believer' porque significa muito para mim. Há um ano, eu canto essa canção nos meus shows autorais e o pessoal também gosta muito".

E foi essa mesma a reação da web, que já ficou movimentada minutos depois da apresentação de Dan. "Que homem, que voz", escreveu um internauta no Twitter. No Instagram, uma fã comentou: "Que voz maravilhosa. Saiba que já me apaixonei".

HOMEM TRANS

Na internet, os internautas também começaram a questionar a sexualidade do cantor, que é assumidamente um homem trans e pede que seja chamado e referenciado com pronomes masculinos. "Cheguei a ver um pouco dessa repercussão e eu tinha até mais medo de como poderia ser, no país dividido como estamos vivendo. Mas eu entendo a adaptação das pessoas. O que não entendo é a maldade", conclui. 

Para ele, a experiência de participar do programa está sendo maravilhosa e o fato de Lulu ter virado a cadeira também significou muito, já que o cantor era mesmo um dos preferidos a virar técnico do capixaba. "Queria ou Lulu ou Iza. Na hora da apresentação, cantei de olho fechado, então estava bem tranquilo. Em determinado momento, eu abri, vi que tinha gente com a cadeira virada, então fiquei mais tranquilo ainda (risos). Pensei: 'Deixa eu continuar cantando aqui, como eu gosto'. Quando vi que tinham dois virados, fiquei muito feliz", lembra, em entrevista ao Gazeta Online.

PREPARAÇÃO

A partir de agora, apesar de não ter aulas de canto, os treinos de Dan serão intensificados para a próxima fase do programa, as Batalhas. "Já fiz aula, hoje não faço mais e estudo por conta própria, tenho essa disciplina. Muito do que canto é à base de blues e depois mescla com pop, jazz... Dou uma boa aquecida na voz e vou cantar. É isso", fala, revelando até que foi esse o ritual adotado para cantar no reality.

Esse estilo, que brinca com o compasso do blues e um quê eletrônico que confere um ar pop, é bem característico de Dan, que deixou essa impressão clara em "Ruby", seu último EP lançado. Nele, as quatro faixas - "Quartz (Pump)", "Gold", "Ágata" e "Ruby" - espelham bastante a fase atual. Antes disso o cantor chegou a experimentar até um pouco do rock - quando fazia parte da banda Olgah e Surbelle.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.