ASSINE

Com dificuldades financeiras, filhos de Catra planejam turnê

A ideia é promover shows com músicas inéditas deixadas por Catra e alguns trabalhos próprios dos filhos

Publicado em 26/09/2019 às 03h06
Atualizado em 26/09/2019 às 06h08
 . Crédito: Reprodução/Instagram @mrcatrareal
. Crédito: Reprodução/Instagram @mrcatrareal

Há um ano da morte de Mr. Catra, a família do funkeiro resolveu levar a voz dele adiante. Os irmãos Fernandinho, 21, Alandin, 27, Kaliba, 17, e WL, 19, se juntaram para formar a Filhos de Catra e sair em turnê apresentando músicas do pai que ficaram famosas por todo o país.

Além dos sucessos do funkeiro (como "Uh Papai Chegou", "Tá Que Tá", "Adultério" e "Vem todo Mundo"), a ideia é promover shows com músicas inéditas deixadas por Catra e alguns trabalhos próprios dos filhos. Apesar dos planos, ainda não há datas de apresentações confirmadas.

Se firmado o projeto, é possível que o show tenha, ainda, uma música inédita de Mr. Catra cantada por Anitta e a rapper norte-americana Cardi B. "Somos muito gratos à Anitta. Ela poderia ter tomado outras atitudes, mas não só gravou uma música do Catra, como estendeu também a sua mão a nossa família", diz Silvia Catra, que foi casada com o funkeiro por 23 anos.

Com agenda aberta para contratantes, a intenção do grupo é sair Brasil afora para fazer shows por um ano. Por enquanto, os meninos ensaiam, fazem aulas de canto, e afirmam estar no radar de algumas gravadoras.A turnê surge como alternativa para manter o equilíbrio financeiro da família. Na falta do cantor, Silvia assumiu o papel de administradora da família, composta por 32 filhos, mas se viu sem os recursos necessários para mantê-la.

Por conta do grande número de crianças, Silvia nunca trabalhou e ajudava Catra na criação dos filhos e na organização de sua carreira, até que ele faleceu, aos 49 anos, vítima de câncer no estômago. "Quando o Catra morreu, eu me vi sem chão. Além da dor, que ainda é muito grande, me vi passando por algumas dificuldades. Principalmente quando começamos a ver as contas chegando, sem ter como pagar", conta.

A dificuldade foi tanta que Silvia diz que precisou entregar a casa em que a família morava em São Paulo para pagar dívidas. Segundo ela, o cantor Buchecha pagou a mudança deles de volta para o Rio de Janeiro.

"Eu comecei a perceber que a nossa família poderia passar por alguns tipos de necessidades maiores, e ao mesmo tempo eu sabia que tinha artistas muito bons dentro de casa, mas que precisavam de direcionamento. Como ajudei o Catra muitas vezes, decidi não ficar parada e nem deixar minha família chegar ao ponto de passar fome. Então comecei a administrar tudo isso da melhor forma possível", conta Silvia. "Essa foi uma forma que encontramos de levar comida para casa".

Hoje, Silvia garante a renda fazendo trabalhos com marcas. Segundo ela, era um sonho de Catra ver todos os filhos "encaminhados, brilhando em suas carreiras", e sem deixar que a memória dele fosse esquecida.

A Gazeta integra o

Saiba mais
anitta dinheiro economia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.