ASSINE

Atriz que interpreta vítima de violência doméstica fará lives sobre o tema

Beatrice Sayd se inspirou na sua personagem Edilene, de "Amor de Mãe", para fazer debates sobre violência contra mulher

Publicado em 31/03/2021 às 11h28
Atualizado em 31/03/2021 às 11h28
Beatrice Sayd como Edilene, em Amor de Mãe. Atriz irá entrevistar Cristiane Machado, Taís Araújo e Ana Paula Araújo em lives sobre violência doméstica
Beatrice Sayd como Edilene, em Amor de Mãe. Atriz irá entrevistar Cristiane Machado, Taís Araújo e Ana Paula Araújo em lives sobre violência doméstica. Crédito: JOÃO MIGUEL JUNIOR/TV GLOBO

A atriz Beatrice Sayd revelou que irá fazer lives sobre violência contra mulher a partir desta quarta-feira, 31. Ela se inspirou na sua personagem Edilene, na novela Amor de Mãe, que sofre violência doméstica durante a pandemia.

Na trama, Vitória, interpretada por Taís Araujo, é a primeira a perceber que as manchas roxas pelo corpo da faxineira são um sinal de uma relação abusiva, nas cenas que exibidas a partir desta terça, 30, segundo assessoria da artista. Então, a partir da história, Beatrice decidiu levar esse tema também para as redes sociais.

"Amor de Mãe me colocou diretamente ligada neste assunto. A mulher sofre uma condição histórica de violência, discriminação e opressão pelo simples fato de ser mulher. Nenhuma de nós deve sofrer qualquer tipo de violência e nem fazer nada que não seja da nossa vontade. Temos de nos unir. Mulheres não são rivais! A causa me atravessa, por isso a necessidade de fazer lives sobre isso", disse Beatrice ao Estadão.

As conversas serão às quartas e sextas-feiras, sempre às 20h. A primeira participação será da delegada Marília de Brito Martins, que já esteve à frente das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher de Campo Grande e Nova Andrandina, no Mato Grosso do Sul.

A próxima convidada para o debate online, nesta sexta-feira, 2, será a atriz Cristiane Machado, que sofreu violência doméstica e engajou-se no combate da violência contra a mulher.

"Também fiz convites à Maria da Penha, à Ana Paula Araújo, que lançou recentemente o livro 'Abuso - A cultura do estupro no Brasil' e a Taís Araújo, que dividiu as cenas da Edilene comigo", completou a atriz.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.