ASSINE

Netflix lança filme sobre bullying para pais e filhos

O longa é protagonizado pela atriz Klara Castanho e é uma adaptação de um best seller

Publicado em 13/09/2021 às 17h41
Klara Castanho em seu novo longa-metragem
Klara Castanho em seu novo longa-metragem . Crédito: Foto: Laura Campanella/Netflix

A Netflix lança na próxima quarta-feira, dia 22, o filme nacional Confissões de uma Adolescente Excluída. O longa é uma adaptação do livro de Thalita Rebouças, Confissões de uma Garota Excluída, Mal-amada e (Um Pouco) Dramática.

O best seller de 2016 conta a história de Tetê, uma menina de 16 anos, do Rio de Janeiro, que não se sente aceita na escola, em casa e nem por ela mesma. Quando a protagonista interpretada por Klara Castanho precisa se mudar para a casa dos avós e é obrigada a trocar de colégio, ela torce para não sofrer bullying novamente.

Em entrevista ao Estadão, a escritora explica que a intenção da história é abordar essa questão de forma ampla. O filme também traz as vulnerabilidades da adolescente que comete o bullying, no caso a personagem Valentina, interpretada por Júlia Gomes.

"Nunca minha escrita é maniqueísta, nunca tem o bom e mau. Acho importante entender que ninguém é vilão o tempo inteiro. Faço isso porque o adolescente está num momento de entendimento do mundo que o cerca e é importante que ele leve as coisas com menos peso", afirma.

O diretor do filme, Bruno Garotti, destaca ainda a importância do núcleo familiar de Tetê, composto pelos atores Júlia Rabello, Stepan Nercessian, Rosane Gofman e Alcemar Vieira. Para ele, o longa promove um "choque de gerações que possibilita uma discussão interessante" sobre bullying e convivência familiar.

"A Tetê vê os próprios problemas com uma lente de aumento e os avós chamam ela de dramática com o intuito de que ela se enxergue com mais carinho. É claro que essa cobrança, às vezes, é um pouco injusta. E isso acontece nas famílias, com amor, acabamos machucando outras pessoas", disse.

"Quando assistimos, entendemos os dois lados. Tem um choque de gerações dos pais e avós da protagonista porque, na época deles, a palavra bullying nem existia. É no choque de gerações que se possibilita uma discussão interessante", declara.

Thalita acrescenta que é justamente por isso que o filme adolescente é feito para ser visto também pelos pais: "Eu acho que o pai e a mãe vão se ver. O filme vai ser um pouco terapêutico e dá um abraço na família. Acho que vai virar uma boa chavinha na cabeça de muito pai e muita mãe".

Produzido pela Panorâmica para a Netflix, Confissões de uma Garota Excluída tem o roteiro feito por Bruno, Thalita, Flávia Lins e Silva e, como colaboradora, Christiana Oliveira. Já a produção é de Mara Lobão e Rodrigo Montenegro, com produção executiva de Vanessa Jardim e Augusto Medeiros. Confira o trailer

A Gazeta integra o

Saiba mais
Netflix Bullyng Famosos

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.