ASSINE

Dois anos sem Ivone Lara: sambista segue inspirando nova geração

Artistas da nova safra conquistam espaço no cenário do samba no Brasil respeitando história da música; veja apostas do mercado

Publicado em 16/04/2020 às 16h00
Atualizado em 17/04/2020 às 17h30
A sambista dona Ivone Lara
A sambista dona Ivone Lara. Crédito: Reprodução/Instagram @comunidadeencostasamba

Neste dia 16 de abril de 2020, dona Ivone Lara completa dois anos de morte. Aos 97 anos, um dos ícones da cultura do Brasil foi vítima de uma parada cardiorrespiratória enquanto estava internada em hospital da zona Sul do Rio. Mas o legado que ficou da lendária é uma lição e tanto para artistas.

Ivone Lara foi a primeira mulher a fazer samba-enredo em uma escola, com "Cinco Bailes da História do Rio", em 1965, e teve composições próprias gravadas por outros grandes nomes da música brasileira, como Clara Nunes, Maria Bethânica, Caetano Veloso, Beth Carvalho e Mariene de Castro. Até hoje, é referência para bambas e admiradores do mundo inteiro, como a cantora Karinah, que há 7 anos constrói uma carreira também inspirada pelo ídolo.

“A mulherada no samba é fonte de inspiração e a gente tem que se dar as mãos e seguir adiante”, dita em entrevista ao Divirta-se. Ela é uma das promessas do gênero musical que talvez seja o mais pulsante e democrático no Brasil: o samba.

A cantora e sambista Karinah
A cantora e sambista Karinah. Crédito: Reprodução/Instagram @karinah

Essa nova safra, como é chamada, nada mais é que cantores e músicos jovens que não querem deixar o samba morrer por nada – como vem pedindo Alcione desde o lançamento do hit de composição de Edson Conceição e Aloísio Silva, em 1975.

Mas não é só ela, a Marrom, que quer manter viva a tradição do estilo musical. Centenas de artistas buscam suporte e referências nesses ícones da música para fazerem bonito e reinventarem a forma de sambar, como aconteceu com Karinah, Gabby Moura, Helen Cristina, Bruna Volpi, Elisa Gudin, Ana Clara e tantas outras que estão engatinhando (e surgindo como promissoras!) neste universo. 

Karinah

Cantora

"Dona Ivone Lara já me recebeu na casa dela e foi de uma gentileza! Eu pensei: ‘Realmente, tem gente que vem para a Terra de um plano espiritual diferenciado"

ENCONTRO COM A LENDA

Karinah também lembra que no episódio em que esteve com dona Ivone pediu um conselho, já que estava no início da carreira (isso lá nos idos de 2002, 2003). “Eu pedi licença e perguntei o que ela tinha para me dizer. E ela falou assim: ‘A gente tem que ser e ter verdade’. Falou que eu não precisava pedir licença e que o samba pode nascer em qualquer lugar, inclusive nos nossos corações”, relata.

Depois da verdadeira aula, a atriz ainda se atreveu e fez o pedido: “Canta comigo em um show meu?”. E sim, caro leitor, dona Ivone Lara cumpriu a promessa antes morrer aos 96 anos em 16 de abril de 2018. “Ela foi mesmo! E foi uma emoção sem tamanho. Tenho e sempre tive muito respeito para conquistar tudo o que conquistei”, relembra.

MAIS ESPAÇO PARA AS MULHERES

Do início dos anos 2000 para cá, Karinah viu muita coisa acontecer, inclusive o aumento do espaço feminino no samba. Quem antes ouvia falar em Alcione, Dona Ivone Lara, Beth Carvalho e Eliana de Lima, hoje vê mais mulheres se aventurando no meio e até mesmo com apoio dos homens.

"Essa nova geração que eu acho que eu me enquadro, falando de Mumuzinho, Sorriso Maroto, até de Dudu Nobre, está sempre no mercado servindo como base para a gente mesmo. Então eu estou vendo que existe uma união hoje dos pagodeiros, sambistas, e eles estão estendendo a mão para nós, mulheres, que sempre tivemos numa posição mais complicada", detalha Karinah, que gravou em março a canção "Melhor Que Nada", com Sorriso Maroto.

Com a ajuda de Karinah e de pesquisa em torno das novidades dos novos artistas do samba, o Divirta-se separou algumas artistas que, assim como ela, foram inspiradas por Dona Ivone e fazem nome no mundo do samba. Confira.

ANA CLARA

Samba sempre foi sonho para Ana Clara, de 25 anos, natural de Santa Catarina. Em dezembro do ano passado, transbordou de felicidade ao mostrar um pouco do seu trabalho no "Domingão do Faustão", da Globo. Ela foi a voz de "Coração Feliz", trilha sonora da novela "Bom Sucesso" e hit que a fez ganhar fama nacional. 

MARVVILA

A jovem estourou nas paradas quando participou do "The Voice Brasil", reality musical da Globo, em 2016. De lá para cá, ela, que é natural de Bento Ribeiro, subúrbio do Rio de Janeiro, passou a apostar bastante no samba, sem deixar de se aventurar em outros gêneros, como o funk. 

BRUNA VOLPI

Bruna tem histórico no teatro. Estudou música brasileira no Conservatório Carlos Gomes, em Campinas, e seguiu no Conservatório de Tatuí. Lançou o primeiro CD, "Retrato", em 2013. Três anos depois, em 2016, lançou o segundo álbum, "Noutra Rodada de Samba". Já no fim de 2017, causou o maior rebuliço com "Covardia", música em que fala sobre violência contra a mulher e Lei Maria da Penha. 

HELEN CRISTINA

Helen Cristina ficou conhecida por participar de realities na TV. Chegou às semi-finais de "Fama 3" e também participou do "The Voice Brasil", na Globo. Antes disso, já soltava a voz como backing vocal de Péricles e só deu uma pausa na carreira quando sofreu episódio de agressão por parte de um ex-namorado, entre 2004 e 2005. 

FLÁVIA OLIVEIRA

Flávia é cantora, compositora, pesquisadora musical e cronista. Deu o start com sua história no samba ainda em 1999 nas rodas de samba de São Paulo.

GABBY MOURA

Gabby também começou sua trajetória no samba em 1999, quando fazia parte do grupo "Samba de Batom". Ela também já participou do "The Voice Brasil", da Globo, e chegou às semi-finais do programa. Em 2017 fez seu primeiro grande show, no Barra Music, no Rio de Janeiro, e de lá para cá só aumenta sua legião de seguidores pelas plataformas digitais

ELISA GUDIN

Elisa é paulistana e filha de Eduardo Gudin, um dos bambas do samba de São Paulo. Há alguns anos ela mora no Rio de Janeiro, mas iniciou a carreira aos 16 anos. Atualmente, tem 30 anos de idade. 

ANDRESSA HAYALLA

Andressa participou da sétima edição do "The Voice Brasil", na Globo, e não parou de crescer desde então. Carioca, ela cresceu entre o samba e pagode e começou a cantar aos 4 anos de idade na igreja. 

LUA CRISTINA

Lua Cristina nasceu em 1994, no Paraná. Se mudou cedo para São Paulo, onde vive atualmente, e começou a se aventurar no canto aos 12 anos de idade. Hoje, é uma das referências nas rodas de samba jovens da capital paulista. 

TAMMY SANTOS

A artista começou cedo e sempre declarou sua paixão pelo samba e pela MPB. Depois de alguns anos de carreira, faz sucesso com participações especiais ou como atração principal de festas do gênero que acontecem pelo Brasil todo. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
cultura música samba

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.