ASSINE

Convento da Penha expõe seu acervo de relíquias e museológico em site

São 560 peças entre fotografias digitalizadas de esculturas, pinturas religiosas, mobiliário e objetos litúrgicos, incluindo pertences pessoais doados por devotos em pagamento de promessas à Nossa Senhora da Penha

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 01/09/2021 às 16h10
Escultura Ecce homo, datada do século XVIII, estará na exposição virtual do acervo do Convento da Penha
Escultura Ecce Homo, datada do século XVIII, estará na exposição virtual do acervo do Convento da Penha. Crédito: Convento da Penha

Conhecido por ter um dos mais importantes acervos sacros do país, com peças raras, datadas do século XVI, o Convento da Penha, em Vila Velha, investiu em um projeto que viabilizou o tratamento técnico de seu acervo museológico, com o inventário e catalogação de 560 peças (cerca de 50% do total de seu acervo), entre esculturas, pinturas religiosas, mobiliário e objetos litúrgicos, incluindo pertences pessoais doados por devotos em pagamento de promessas à Nossa Senhora da Penha

Esse extenso material, parte importante da história do Espírito Santo, ganhou uma exposição virtual gratuita, ou seja, você poderá conhecer cada relíquia no "conforto de seu lar". O acervo catalogado - sob a responsabilidade da museóloga Maria Clara Medeiros Santos Neves - também passou por um processo de digitalização fotográfica e, aos poucos, será exposto no site www.patrimonioconventodapenha.com.br.

A estreia está prevista para esta quarta-feira, dia 1º de setembro, contando, inicialmente, com 511 imagens distribuídas em 12 páginas virtuais. 

Este vídeo pode te interessar

"Fizemos um inventário, higienização e condicionamento em reserva técnica (local preparado especialmente para receber o material). Além disso, identificamos, classificamos, catalogamos e detalhamos cada peça. Usamos a plataforma Tainacan, portanto, o trabalho de catalogação foi feito de forma digital", explica Medeiros.

"Isso possibilita, futuramente, lançarmos um catálogo com toda a exposição", detalha a museóloga, que, para o trabalho, contou com o suporte da fotógrafa Lorena Fraga e de artista plástico Celso Adolfo Salles Ramos, responsável pela avaliação do estado de conservação material, identificando as necessidades de cada peça e oferecendo as melhores condições de preservação, higienização e acondicionamento.

Escultura de vestir de Nossa Senhora da Penha, que fica no altar-mor. Tradicionalmente teria sido encomendada da Europa por frei Pedro Palácios.
Escultura de vestir de Nossa Senhora da Penha, que fica no altar-mor. Tradicionalmente teria sido encomendada da Europa por frei Pedro Palácios. Crédito: Convento da Penha

"As peças foram fotografadas em várias posições de câmera, o que auxilia na gestão do acervo. No site, vamos usar, no máximo, três imagens de cada uma delas. A exposição virtual é a melhor forma de conhecer a história do Convento. Pela internet, pessoas do mundo inteiro podem conferir. Futuramente, em um momento pós-pandemia, pensamos em fazer uma mostra presencial".

PRECIOSIDADES

Maria Clara Medeiros adianta que o material catalogado é de grande valor histórico. "São esculturas religiosas datadas entre o século XVI e XX. Algumas delas vieram com o Frei Pedro Palácios, como uma pintura em óleo, representando Nossa Senhora das Alegrias (ou Prazeres), que está no acervo desde 1558", relata.

Pintura, óleo/tela, representando Nossa Senhora das Alegrias (ou Prazeres), que veio para o ES em 1558, trazida por frei Pedro Palácios.
Pintura, óleo/tela, representando Nossa Senhora das Alegrias (ou Prazeres), que veio para o ES em 1558, trazida por frei Pedro Palácios. Crédito: Convento da Penha

Entre outros destaques, está uma imagem raríssima de Nossa Senhora da Penha, encomendada por Pedro Palácios para ornamentar o altar da capela. "Descobrimos muito material do século XVIII, pertencentes ao Movimento Barroco, especialmente o Rococó. Temos castiçais com velas e crucifixos. Há painéis dos pintores Victor Meirelles e Benedito Calixto, além de mobiliários".

Medeiros explica que muitas das peças catalogadas continuam expostas em salas do Convento da Penha. "Mantemos o material que está na capela e os que são usados na residência dos freis, por exemplo. Levamos para a reserva técnica apenas o que estava em desuso, sempre com a preocupação voltada para a preservação", complementa.

Óleo/tela, chegada de frei Pedro Palácios. Pintura de 1926, de Benedito Calixto
Óleo/tela, chegada de frei Pedro Palácios. Pintura de 1926, de Benedito Calixto. Crédito: Convento da Penha

A live de lançamento do site “Patrimônio Convento da Penha” está marcada para acontecer nesta quarta, a partir das 19 horas, no canal do Convento, no Instagram. O projeto foi realizado por meio de edital da Secretaria da Cultura (Secult), com recursos da Lei Aldir Blanc.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.