ASSINE

Bibliotecas públicas do ES recebem acervo digital de audiolivros e e-books

Parceria com a Tocalivros vai durar um ano para os espaços e seus usuários usufruírem das mais de 7 mil obras disponíveis no acervo da plataforma

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 22/03/2021 às 09h00
Audiobook, Livro, leitura acessível
Audiobook, Livro, leitura acessível. Crédito: Pixabay

Bibliotecas públicas do Espírito Santo dão mais um passo para a leitura inclusiva. Algumas unidades municipais e a Biblioteca Pública Estadual receberam acesso a um arquivo digital com mais de dois mil audiolivros e cinco mil e-books disponíveis para celular, computador ou tablet.

Assim, usuários não precisam se deslocar até os espaços - ainda mais durante a pandemia - para fazer o empréstimo de livros e as bibliotecas ganham um acervo de obras acessíveis. Em dezembro, o Divirta-se falou dos desafios enfrentados pela literatura em formato inclusivo no Espírito Santo e no país.

A medida é resultado de uma seleção que a “Tocalivros”, principal plataforma de audiolivros do Brasil, realizou em 2020 com a organização não governamental (ONG) RECODE. O projeto "Biblioteca Digital Tocalivros" escolheu 149 bibliotecas em todo o país nesta primeira fase do projeto.

No Espírito Santo, as bibliotecas públicas municipais de Nova Venécia, Fundão, Cariacica, Nova Rosa da Penha, Viana, Domingos Martins e Jerônimo Monteiro, além da Biblioteca Pública Estadual foram contempladas. As unidades e seus usuários terão acesso gratuito à ferramenta personalizada durante um ano.

Após este período, a gratuidade termina e a empresa espera estender a parceria com o poder público. "A parceria não necessariamente vai acabar, ela pode ser renovada. Tudo depende de como vai funcionar esse período de um ano. Como é um projeto piloto, ainda estamos avaliando, mas sim, esperamos que essa iniciativa nos proporcione parcerias com o governo e com outras instituições interessadas", explica Roberto Camps, sócio-diretor da Tocalivros, sem especificar quanto isso vai custar aos cofres públicos.

"O orçamento da plataforma é personalizado, funciona de acordo com a necessidade e uso da biblioteca, por isso é necessário que os interessados entrem em contato conosco para saber mais", completa.

A plataforma é acessível, totalmente configurável com a opção de ouvir e ler off-line e sem limites quanto a acessos ou associados. Os cadastros podem ser feitos direto nas unidades beneficiadas. "O usuário pode fazer o cadastro na plataforma da biblioteca ou a biblioteca pode fazer isso por ele, a gestão é feita individualmente, então referente a acessos, tudo depende da biblioteca em questão", detalha Camps.

Vale lembrar que a “Tocalivros” disponibiliza títulos e best-sellers de diversos gêneros, além de cursos, palestras, podcasts. As obras são narradas na íntegra por profissionais com produção sonora.

A previsão é que uma segunda fase de inscrições seja aberta ainda em 2021, mas em um novo formato a ser definido. Por ora, as que tiverem interesse podem entrar em contato pelo e-mail [email protected]

DETALHES

Além de levar conteúdo e entretenimento para dentro das casas de inúmeras pessoas, a plataforma é totalmente personalizável, sendo possível a criação de playlists para divulgação em diversas redes, ideal para clubes de leituras. Os gestores também podem customizar a ferramenta com banners e a escolha do acervo conforme o público, além do acesso tanto no site quanto pelo aplicativo disponível em iOS e Android.

Segundo Ricardo Camps, os benefícios de uma biblioteca digital vão além de dispensar um espaço físico. “O digital chega onde o espaço físico não consegue. Ela está no celular, no computador, dentro de casa, onde você quiser. Não tem o peso de carregar um livro porque está dentro do aparelho em todos os lugares”, contextualiza.

INCLUSÃO

A leitura inclusiva é aquela que garante que todas as pessoas, inclusive as com mobilidade reduzida, cegueira, entre outras deficiências, tenham o direito à leitura. Para isso, ela se utiliza de diferentes estratégias, metodologias e recursos de tecnologia assistiva com o objetivo de produzir livros em formatos acessíveis.

No Estado, as bibliotecas Pública Estadual e a Pública Municipal Adelpho Poli Monjardim são umas das poucas que possuem obras em formato inclusivo. Mesmo assim, as obras adaptadas não estão disponíveis nas plataformas on-line. Além disso, devido à quarentena, os espaços de leitura não tem realizado atendimento ao público.

De acordo com a bibliotecária e Analista de Projetos na ONG Recode, Hanna Gledyz, grande parte das bibliotecas realizam “um trabalho de resistência frente a tantas dificuldades de acesso, modernização e garantia de seus serviços, principalmente neste período da pandemia”. Além disso, a parceria com a Tocalivros ajuda na formação de novos leitores.

TOCALIVROS

Além da parceria, a ferramenta "Tocalivros" também está disponível para qualquer pessoa. Caso a biblioteca mais perto de você ainda não foi contemplada pelo projeto de gratuitade, eles disponibilizam planos e assinaturas que dão acesso aos mais de 2 mil audiolivros e 5 mil eBooks para levar aonde quiser.

Atualmente, na assinatura, o usuário tem acesso a todos os audiolivros por apenas R$ 14,90 ao mês e os primeiros 15 dias são de graça. O aplicativo está disponível em iOS e Android. Mais informações no site www.tocalivros.com.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.