ASSINE

Banda Maneva inova com disco que serve de trilha para animação

Além das músicas, grupo que é um dos maiores nomes do reggae nacional criou também personagem, O Cabeça de Folha, que protagoniza história dividida em seis capítulos

Publicado em 05/02/2020 às 19h58
Atualizado em 05/02/2020 às 19h58
Maneva é formada por Tales de Polli, Felipe Sousa, Fernando Gato, Fabinho Araújo e Diego Andrade. Crédito: Marina Bernardo
Maneva é formada por Tales de Polli, Felipe Sousa, Fernando Gato, Fabinho Araújo e Diego Andrade. Crédito: Marina Bernardo

Conhecida pelas letras com mensagens positivas e pelas pitadas de pop, a Maneva comemora 15 anos de estrada como um dos principais nomes do reggae nacional. Para cantar os parabéns, a banda acaba de lançar um EP acompanhado de projeto inovador que une áudio e vídeo: uma série de animação, publicada no canal oficial do YouTube e protagonizada pelo personagem O Cabeça de Folha, criado pelo grupo.

A figura do simpático boneco ilustra os seis clipes que compõem o material, cujas músicas estão disponíveis em plataformas de streaming. O personagem também vive uma história cronológica ao longo dos "capítulos", com as faixas como trilha sonora. 

"Nunca tínhamos trabalhado com animação e esse formato foi bem legal. A história dele conta a história de todos nós, as nossas dificuldades e evolução", fala Tales de Polli, vocalista da banda, em entrevista ao Divirta-se. "Ficamos muito felizes de sermos pioneiros em uma série de animação e estamos muito gratos."

O Cabeça de Folha se vê em muitos desafios pessoais e cada passo escolhido para solucionar os problemas pode significar o início de uma nova fase. Apesar de não ser história baseada em fatos que a banda enfrentou, o boneco tenta espelhar bem os imbróglios que os músicos viveram nessa década e meia de trajetória. 

Este vídeo pode te interessar

"O Cabeça de Folha é parte das comemorações de carreira. Adiamos bastante o lançamento do trabalho para cair nessa data, porque ele representa um pouco da nossa história, da nossa evolução musical", diz Tales. O grupo, formado ainda por Felipe Sousa, Fernando Gato, Fabinho Araújo e Diego Andrade, acreditam que O Cabeça de Folha pode servir de gatilho para outros trabalhos, não apenas ao aniversário.

A seguir, confira um bate-papo com o vocalista sobre o novo projeto:

Qual foi a inspiração para a criação do personagem Cabeça de Folha?

Tales - Ele foi inspirado em um grafite (feito pelo artista André Mogle em uma das paredes do estúdio da banda). Começamos a analisar o processo do cara, porque ele tinha uma folha na cabeça... queríamos saber qual foi o processo de evolução para ele florescer. Porque às vezes não é só evoluir. É fazer a diferença. Usamos as metáforas da semente, da planta e de humanóides, que são meio galhos, e de como eles fazem para florescer.

Como foi o processo de produção do álbum?

Foi um processo legal, diferente. A história de O Cabeça de Folha conta a história de todos nós, as dificuldades durante o nosso crescimento. Nos espelhamos muito nesse ponto da nossa evolução e, com a animação, deu para criar um universo em que qualquer coisa do mundo real está lá.

E de onde surgiu a ideia de fazer das músicas capítulos de uma série? É um jeito novo de fazer clipe?

Acredito que seja inédito e eu só posso falar que a folha caiu na nossa cabeça. Um dia estava chegando ao estúdio e pensei: 'Ah, acho que não vai dar certo. Saí para tomar um ar e, quando voltei, tinha uma folha na minha cabeça. E tinha mesmo uma folha na minha cabeça! Aí vi que a gente estava no caminho certo'.

E ele morre agora, no fim deste trabalho, ou pode reviver em um projeto futuro?

Acredito que ele já seja uma referência e já pensamos em uma segunda temporada com ele para até 2022.

Como vocês avaliam o atual momento da banda, aos 15 anos de estrada?

Sempre tomamos as próprias decisões, mas estamos em constante aprendizado. Hoje, olhando para esses 15 anos de carreira, vemos que amadurecemos bastante.

Estão previstas mais comemorações?

Vamos a partir no meio do ano para gravar um DVD itinerante comemorando esses 15 anos. E vamos passar pelo Espírito Santo, acredito. Ainda estamos negociando uma data, mas está em nossos planos.

No Spotify, o retorno do público tem sido muito bom em números. No YouTube também, com mais de 420 mil plays em uma semana. A que atribuem o sucesso?

Sempre acreditamos que é o ritmo. Mas queremos crescer esse número mais ainda. Nossa meta é levar hits e todo esse sentimento para o maior número de pessoas possível. A arte nada mais é que uma luz no escuro, ela te dá um sentido, te dá um caminho.

A música com Vitor Kley, "Nós do Bonfim", é a que tem mais plays. Até agora, são mais de 291 mil. Teve algo de especial nessa canção ou acham que a parceria fez a música chamar mais a atenção?

Ela aconteceu. O Kley é sensacional, faz música do coração e alcançou o sucesso fazendo música que o coração dele manda. Nós somos amigos também, então facilitou um pouco o processo. Estamos trabalhando todas as músicas de todas as formas, mas ao todo são mais de 650 mil plays no "Cabeça de Folha", o que é um número muito bom. E isso só no Spotify.

O que esperar para os próximos meses?

Vem muita música boa por aí. Vamos trazer novas participações, vamos fazer releituras de nossos sucessos e as expectativas estão no alto para os próximos meses. Será mais um ano de crescimento.

A Gazeta integra o

Saiba mais
música

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.