ASSINE

Selic no fim de 2021 sobe de 4,00% para 4,50% ao ano, prevê Focus

Alta terá intenção de controlar a inflação que começa a pressionar a economia em um momento de baixo crescimento da atividade produtiva

Publicado em 15/03/2021 às 10h26
Juros em baixa atraem mais investimentos
Taxa de juros entrará em trajetória de alta no país. Crédito: Divulgação

Os economistas do mercado financeiro elevaram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2021 de 4,00% para 4,50% ao ano, segundo o Relatório de Mercado Focus, do Banco Central, divulgado nesta segunda-feira (15). Há um mês, estava em 3,75%. o caso de 2022, a projeção seguiu em 5,50%, ante 5,00% de um mês antes. Para 2023, seguiu em 6,00%, mesmo patamar de quatro semanas atrás. Para 2024, permaneceu em 6,00%, igual a um mês atrás.

Em janeiro, ao manter a Selic em 2,00% ao ano, o Comitê de Política Monetária (Copom) preparou o terreno para possível elevação dos juros em 2021. Isso porque a instituição deu fim ao chamado "forward guidance" (ou prescrição futura, na tradução do inglês).

Adotado em agosto de 2020, o "forward guidance" era uma indicação técnica do BC de que não pretendia elevar os juros se a inflação seguisse sob controle e o risco fiscal não se alterasse. O problema é que, nos últimos meses, a inflação ao consumidor está mais salgada, puxada por aumentos de preços em itens como alimentos e gasolina.

O Copom se reúne novamente nesta semana (dias 16 e 17). Das 54 instituições do mercado financeiro consultadas pelo Projeções Broadcast, do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, 52 esperam aumento dos juros básicos nesta reunião, sendo que 48 aguardam que a taxa suba de 2,00% para 2,50%, três veem alta de 0,25 ponto e uma espera aperto mais intenso, de 0,75 ponto. Para o fim de 2021, a mediana das apostas é de 4,5%, com expectativas indo de 3% a 6%.

CÂMBIO

O relatório mostrou alteração no cenário para a moeda norte-americana em 2021 pela quarta semana consecutiva. A mediana das expectativas para o câmbio no fim do período foi de R$ 5,15 para R$ 5,30, ante R$ 5,01 de um mês atrás.

Para 2022, a projeção para o câmbio passou de R$ 5,13 para R$ 5,20, ante R$ 5,00 de quatro pesquisas atrás. A projeção anual de câmbio publicada no Focus passou a ser calculada com base na média para a taxa no mês de dezembro, e não mais no valor projetado para o último dia útil de cada ano. A mudança foi anunciada em janeiro passado pelo BC. Com isso, a autarquia espera trazer maior precisão para as projeções cambiais do mercado financeiro.

PROJEÇÃO DO PIB PASSA DE 3,26% PARA 3,23%

Os economistas do mercado financeiro alteraram levemente suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2021. Conforme o Relatório de Mercado Focus, a expectativa para a economia este ano foi reduzida de alta de 3,26% para 3,23%. Há quatro semanas, a estimativa era de 3,43%. Para 2022, o mercado financeiro mudou a previsão do PIB de alta de 2,48% para 2,39%. Quatro semanas atrás, estava em 2,50%.

No Focus divulgado nesta segunda-feira, 15, a projeção para a produção industrial de 2021 passou de alta de 4,37% para 4,69%. Há um mês, estava em elevação de 5,18%. No caso de 2022, a estimativa de crescimento da produção industrial subiu de 2,30% para 2,38%, ante 2,50% de quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2021 foi de 64,44% para 65,00%. Há um mês, estava em 63,90%. Para 2022, a expectativa foi de 65,50% para 66,20%, ante 65,40% de um mês atrás.

Déficit primário

O Relatório de Mercado Focus trouxe hoje pequena alteração na projeção para o resultado primário do governo em 2021. A relação entre o déficit primário e o PIB este ano passou de 2,80% para 2,90%. No caso de 2022, variou de 2,10% para 2,04%. Há um mês, os porcentuais estavam em 2,70% e 2,10%, respectivamente.

Já a relação entre déficit nominal e PIB em 2021 variou de 7,00% para 7,10% em 2021, conforme as projeções dos economistas do mercado financeiro. Para 2022, passou de 6,60% para 6,70%. Há quatro semanas, estas relações estavam em 7,00% e 6,50%, nesta ordem.

O resultado primário reflete o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Já o resultado nominal reflete o saldo já após as despesas com juros

Balança comercial

No caso do superávit comercial, a mediana do Focus seguiu em US$ 55,00 bilhões para 2021. Um mês atrás, a previsão era de US$ 57,00 bilhões. Para 2022, a estimativa de superávit permaneceu em US$ 50,00 bilhões. Há um mês, estava em US$ 49,85 bilhões.

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será suficiente para cobrir o resultado deficitário em transações correntes neste e no próximo ano. A mediana das previsões para o IDP em 2021 permaneceu em US$ 52,50 bilhões. Há um mês, estava em US$ 60,00 bilhões. Para 2022, a expectativa passou de US$ 61,90 bilhões para US$ 60,00 bilhões, ante US$ 70,00 bilhões de um mês antes.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.