ASSINE

Grupo quer investir R$ 4,5 bi em termelétrica e criar 2 mil empregos no ES

O projeto da usina em Presidente Kennedy ainda precisa ser selecionado em leilão do governo federal, em outubro. A construção da planta deve gerar 2 mil empregos

Publicado em 26/09/2019 às 11h48
Atualizado em 26/09/2019 às 18h00
A térmica deve se instalar na retroárea do Porto Central, em Presidente Kennedy. Crédito: Divulgação
A térmica deve se instalar na retroárea do Porto Central, em Presidente Kennedy. Crédito: Divulgação

O Espírito Santo poderá receber R$ 4,5 bilhões em investimento a partir da instalação de uma planta de produção de energia termelétrica a gás natural no Sul do Estado. O grupo Servtec, que atua no setor elétrico, participa do próximo leilão de energia com o projeto que, se aprovado, gerará até dois mil postos de trabalho durante o período de instalação, previsto para durar cinco anos.

Segundo o diretor de novos negócios para o setor de geração térmica da empresa, Lauro Fiuza Neto, o plano é instalar a usina na área do Porto Central, em Presidente Kennedy. “É uma usina de grande porte. Haverá uma alta demanda de energia nesse local uma vez que as empresas que planejam se instalar na região do porto forem concebidas”, disse. 

Para que o projeto seja concretizado, é preciso que ele seja aprovado no leilão de energia do governo federal A-6, marcado para 18 de outubro. Outras seis térmicas de gás natural também entraram na disputa com propostas no Espírito Santo.

A usina terá capacidade de geração de até 1,1 gigawatts (unidade de medida de potência). O montante é suficiente para abastecer por um ano 3,5 milhões de domicílios, ou seja, cerca de três vezes o número de domicílios do Estado.

PORTO CENTRAL

Segundo Fiuza, a escolha pelo Porto Central é estratégica já que a empresa pretende importar o gás que será utilizado na usina sob a forma liquefeita, que chega por navios. No porto está prevista ainda a instalação de uma unidade de regaseificação, que transforma de volta o produto em gás.

“Foi uma oportunidade que surgiu de uma localização estratégica, próxima do litoral. Ao ter suprimento de energia próximo, isso dá sustentação para empresas de grande porte, grandes consumidoras de energia. É tecnicamente vantajoso”, disse.

Com todas as licenças necessárias ao início das obras já obtidas, a Servtec está otimista de que conseguirá sucesso no leilão. Além do Espírito Santo, o grupo também disputa o leilão A-6 com outra planta de térmica a gás, no Maranhão.

NOVOS NEGÓCIOS

A petrolífera Shell também anunciou, em agosto, que avalia a possibilidade de construir uma usina térmica para gerar energia a partir de gás natural no Espírito Santo. Ainda não há detalhes sobre a capacidade, local de implantação, ou valor do investimento. Em fevereiro, a empresa divulgou o investimento de US$ 700 milhões - mais de R$ 2,5 bilhões - para a construção de uma termelétrica em Macaé (RJ), que deve ficar pronta em 2023.

A abertura do setor de gás natural, com a quebra do monopólio da Petrobras, deve contribuir para a concretização dos investimentos. Para o consumidor final e para as empresas que dependem desse combustível para produzir, como fábricas de porcelanas, usinas de pelotização, térmicas e siderúrgicas, o resultado será uma queda de até 40% no preço do produto.

A Gazeta integra o

Saiba mais
leilão presidente kennedy

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.