ASSINE

Governo finaliza marco legal das startups; projeto segue para o Congresso

O texto define regras para o funcionamento do setor de startups, entendidas como iniciativas de base tecnológica e que apresentam um modelo de negócio inovador

Publicado em 19/10/2020 às 18h56
Presidente Jair Bolsonaro em evento da PRF do Rio
Presidente Jair Bolsonaro em evento da PRF do Rio. Crédito: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou na tarde desta segunda (19) o Projeto de Lei do Marco Legal das Startups. O PL que visa fomentar as empresas de inovação será entregue na terça (20) ao Congresso.

O texto define regras para o funcionamento do setor de startups, entendidas como iniciativas de base tecnológica e que apresentam um modelo de negócio inovador. Reportagem do jornal Folha de S.Paulo publicada na última terça (13) mostrou que o governo estava acertando os últimos detalhes do texto.

A nova lei pretende definir os requisitos para a abertura desse tipo de empresa e as regras para que elas atuem no mercado. Também cria incentivos para a pesquisa e desenvolvimento de startups no país.

"O Brasil é o quarto mercado digital do mundo. Temos evoluído muito nos últimos meses, mas queremos avançar mais ainda, facilitando o ambiente de negócios", disse o presidente em vídeo divulgado nas redes sociais. Ele aparece ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos da Costa.

"É o Brasil entrando na revolução digital com toda força", disse Guedes no vídeo.

O Marco Legal das Startups começou a ser formulado no ano passado pelos ministérios da Economia e da Ciência, Tecnologia e Inovação em resposta ao Projeto de Lei Complementar 146/19, apresentado por um grupo de 20 deputados. A construção do texto envolveu ainda representantes do setor privado e instituições públicas.

Entre as mudanças propostas, estão a redução da burocracia para as startups, o aumento da oferta de investimento e da segurança jurídica, além da definição das regras para compras públicas.

Para investidores, a desburocratização do setor pode fazer com que o volume de investimentos em startups se multiplique até dez vezes em cinco anos.

Brasil Brasília (DF) Congresso Nacional brasil Internet Tecnologia Startup

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.