ASSINE

Fila para emprego na Serra junta 4.500 pessoas e termina em Vitória

Vagas são para uma nova hamburgueria que irá abrir no Shopping Mestre Álvaro. Proprietário quer criar um banco de dados com os entrevistados para outras empresas

Publicado em 28/03/2018 às 15h34
Pessoas fazem longa fila em frente ao shopping mestre Álvaro para tentar uma vaga de emprego em uma lanchonete . Crédito: Bernado Coutinho
Pessoas fazem longa fila em frente ao shopping mestre Álvaro para tentar uma vaga de emprego em uma lanchonete . Crédito: Bernado Coutinho

Uma oferta de 70 vagas de emprego em uma hamburgueria no bairro Eurico Sales, na Serra, formou uma fila de 4.500 pessoas, na manhã desta quarta-feira (28). A estimativa é uma parcial do próprio dono do estabelecimento. As primeiras pessoas começaram a chegar por volta das 5h da manhã e, às 11h, a fila já contornava pela Rodovia Norte Sul, chegando ao Bairro de Fátima, em Vitória.

As vagas são para chapeiros, condimentadores, operador de caixa e barman de uma nova loja do Rick's Burguer, a ser inaugurada no Shopping Mestre Álvaro. Os salários iniciais variam de R$ 1 mil a R$ 1,2 mil. De acordo com o empresário Henrique César Hellmeister, dono do Rick's Burguer, a iniciativa visa criar um banco de dados, que pode ser usado até por outras lanchonetes. Ele afirma que faz questão de entrevistar cada um dos candidatos.

"Já fiquei sete meses desempregado. Sei o quanto é desanimador não conseguir uma vaga almejada. Para o meu negócio, preciso conhecer o perfil dos funcionários. Hoje são 4.500, são muitas pessoas, mas a ideia é montar um banco de dados para que a gente até abra para outras lanchonetes. Além disso, muitas empresas fazem um filtro antes da entrevista. Sentar e ouvir cada uma dessas pessoas é o mínimo que podemos fazer, para não deixar elas desanimarem", incentiva.

Este cenário, de multidões em busca de emprego, já virou rotina na Grande Vitória. Na última segunda-feira (26), cerca de 3 mil pessoas ocuparam três quarteirões na entrada do Feirão de Empregos da Serra. No local eram ofertadas 800 vagas.

MENOS EXPERIÊNCIA, MENOS OPORTUNIDADES

Segundo os candidatos, a ausência da exigência de experiência foi um dos fatores que motivaram a grande procura. Para o jovem Leandro Rodrigues, de 19 anos, a entrada no mercado de trabalho tem se tornado cada vez mais difícil.

"Há um ano venho tentando. Já procurei em supermercados, farmácias, lojas e concessionárias de veículos. Participei do programa 'Adolescente Aprendiz', mas desde que terminei o Ensino Médio, não consegui mais trabalho. Quem não tem experiência não consegue chegar até as entrevistas. O máximo que falam com a gente é 'boa sorte'", desabafa.

Mesmo surpreendida com o tamanho da fila e o calor na Norte-Sul, a ex-assistente financeira Ariane Rosário, de 27 anos, não desanimou de buscar a vaga. Desempregada há dois anos, ela vem complementando a renda da casa, onde mora com a mãe aposentada e a filha, com a renda dos bicos que faz.

"Quero trabalhar de carteira assinada. Fiz entrevistas em algumas lojas, eles prometeram retornar, mas ainda não ligaram. Com o número de pessoas que tem aqui, conseguir o emprego é quase impossível, só tendo fé mesmo", conta.

MAIS LOJAS

Rick afirma que vai abrir mais uma nova loja até o meio do ano. No total, sua rede de hamburguerias conta com três lojas, sendo que a quarta está com inauguração marcada para o próximo dia 9, no Shopping Mestre Álvaro. Com 120 funcionários atualmente, ele afirma que quer terminar o ano com 200 empregados e cinco lojas na Grande Vitória.

desemprego

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.