ASSINE

Equipe econômica ainda não fez tudo o que precisa ser feito, diz Guedes

De acordo com o ministro da Economia, se for necessário, serão liberados mais recursos, trilhões. "Vamos liberar mais dinheiro se for o caso", afirmou

Publicado em 04/04/2020 às 18h44
O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante o seminário Declaração de Direitos de Liberdade Econômica, em 2019
O ministro da Economia, Paulo Guedes. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasi

A equipe econômica ainda não fez tudo o que precisa ser feito para conter os impactos do novo coronavírus sobre o País, disse neste sábado, 4, o ministro da Economia, Paulo Guedes, em live com varejistas. Conforme ele, se for necessário, serão liberados mais recursos, trilhões. "Vamos liberar mais dinheiro se for o caso", afirmou.

Ele disse que em pouco mais de três semanas, ajuda será de mais de R$ 800 bilhões

Para o ministro, é importante erradicar a cultura da moratória e, quem tiver dificuldade, o governo rolará a dívida. "Ainda não se fez tudo sobre pacote contra a crise", disse, sem detalhar o que mais poderia ser feito.

De acordo com Guedes, o governo quer atacar os impostos e tem como atingir isso na "veia".

Segundo ele, o principal imposto a ser atacado é o que incide sobre a folha de pagamentos. "É o mais cruel dos impostos, a arma da destruição em massa de empregos, que colocou milhões na informalidade", afirmou.

Disse que agora a conversa diz respeito à saúde, mas que, depois, será a economia, as reformas. "O Brasil vai atravessar essa segunda onda desemprego", comentou.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.