ASSINE

Alcolumbre: congelar salário de servidor garante economia de R$ 130 bi

Relator no Senado do projeto de socorro aos Estados e municípios por conta do coronavírus, Davi Alcolumbre apontou a economia prevista com o congelamento que será proposto aos entes como contrapartida

Publicado em 27/04/2020 às 21h56

O presidente do SenadoDavi Alcolumbre (DEM-AP), citou que o congelamento salarial de funcionários da União, Estados e municípios a ser proposto como contrapartida para o socorro a Estados e municípios, por conta do coronavírus, garante uma economia de R$ 130 bilhões em 18 meses.

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, durante sessão virtual para votação do projeto
Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, durante sessão virtual: negociações estão em andamento com governo para votar projeto. Crédito: Marcos Brandão/ Agência Senado

Relator do projeto, Alcolumbre deve apresentar o parecer até quinta-feira, 30, e convocar uma sessão extraordinária para votar o texto no sábado, 2, deixando a proposta pronta para ser votada na Câmara dos Deputados.

Ainda nesta segunda, o presidente do Senado se reúne com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-AP), e integrantes da equipe econômica para buscar um texto de consenso.

"Há 15 dias, a discussão não era não sobre reajuste de salário, mas de cortar 25% dos salários dos servidores estaduais, municipais e federais. Evitar o reajuste por 18 meses seria um gesto de contrapartida para o repasse", afirmou Alcolumbre em sessão remota do Senado.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.