ASSINE

Obras em alta na pandemia ampliam vendas de material de construção

Rede Construir registra aumento em pedidos e faturamento ao apostar nos itens mais procurados para reformas

  • Rede Construir

  • Estúdio Gazeta

    O Estúdio Gazeta é o time de produção de conteúdo para anunciantes da Rede Gazeta, com estrutura independente da Redação de A Gazeta/CBN.
Publicado em 23/06/2021 às 16h34
Rede Construir
Rede Construir adotou estratégia para se aproximar mais do público e impulsionar o negócio. Crédito: Rede Construir/Divulgação

As dificuldades impostas pela pandemia trouxeram significativas perdas a muitos setores. Para o segmento de materiais de construção, o impacto mostrou-se mais ameno, já que a atividade foi considerada serviço essencial desde o início das restrições. Ainda assim, muitos estabelecimentos precisaram se movimentar para continuar em alta com o público. Alguns não se saíram tão bem, já outros se aproveitaram dessa mudança para impulsionar os negócios. É o caso da Rede Construir.

Em um período no qual grande parte dos clientes passou por dificuldades devido à crise econômica, foi necessário se adaptar ao novo momento e se aproximar ainda mais do público. Nesse esforço, a Rede Construir teve o insight certeiro para crescer mesmo em um momento difícil. “Muita gente ‘aproveitou’ o fato de estar em casa para construir e reformar e passou a prestar mais atenção e a dar mais valor ao conforto do lar”, destacou o diretor da Rede no Espírito Santo, Douglas Broseguini Delfin.

E essa virada de chave fez com que a empresa percebesse as maiores necessidades dos clientes e começasse a investir no que realmente era visto como essencial nesta fase. Nesse grupo de demandas observadas, estavam pequenas reformas, reparos domésticos e mudanças na decoração.

Aliada a isso, a interação pelas redes sociais foi fundamental para identificar os anseios do mercado consumidor a fim de supri-los. “Esse insight nos possibilitou apostar em mais conteúdos relevantes nas redes sociais, como vídeos com tutoriais. O feedback dos clientes, vindo, principalmente, das redes sociais, também influenciou a escolha dos produtos ofertados. Passamos a divulgá-los com mais frequência”, ressaltou Douglas.

O empenho se traduziu em bons resultados. Ao longo do último ano, foi registrado crescimento de 30% no faturamento e de 31% no número de pedidos. E mesmo em um período de fechamento de lojas, a Rede Construir foi na contramão dessa tendência: abriu unidades no Estado, chegando ao total de 28 em território capixaba.

A grande quantidade de filiais, inclusive, foi outro ponto positivo para a logística, pois facilitou as entregas e possibilitou a ampliação da gama de produtos. “Como nossas lojas estão em várias cidades do Estado, a logística facilitou as vendas por delivery, forma mais segura no momento. A divulgação em massa na TV, em outdoors e nas redes sociais também foi essencial. Além desse aparato, investimos em produtos que os clientes procuravam, estendendo assim nosso mix”, completou Douglas.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais
Construção civil

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.