ASSINE

Escolas capixabas saem na frente para ofertar novo ensino médio em 2022

A Rede dos Colégios Americano apresenta proposta robusta e preparada para atender à nova estrutura curricular, obrigatória a partir do próximo ano

  • Americano

  • Estúdio Gazeta

    O Estúdio Gazeta é o time de produção de conteúdo para anunciantes da Rede Gazeta, com estrutura independente da Redação de A Gazeta/CBN.
Publicado em 05/10/2021 às 17h59
A Rede dos Colégios Americano já possui uma carga horária superior à exigida, adequada ao novo ensino médio.
A Rede dos Colégios Americano já possui uma carga horária superior à exigida, adequada ao novo ensino médio. Crédito: Colégio Americano/Divulgação

De olho nas mudanças na área da educação, algumas escolas do Espírito Santo já vêm se preparando para a implantação do novo ensino médio antes mesmo de 2022, prazo estipulado pela Lei 13.415/2017. A legislação alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, ampliando o tempo mínimo dos estudantes de ensino médio nas escolas, passando de 800 horas para 1.000 horas anuais, já no próximo ano.

É o caso da Rede dos Colégios Americano, que, segundo a coordenadora pedagógica geral, Monique Montenegro, já possui uma carga horária superior à exigida, adequada ao novo ensino médio. Além disso, as unidades vão ofertar 13 conteúdos em 2022 para que os alunos possam escolher. Dentre eles, pode-se destacar: “A linguagem secreta do cinema”, “A arte de argumentar”, “O brasileiro precisa ser estudado: introdução aos estudos sociais sobre o Brasil”, “Programação criativa” e “Viagens intergalácticas.”

“A nossa proposta pedagógica para o novo ensino médio tem sido pensada desde 2020, e conseguimos construir uma diversidade de ofertas para os nossos estudantes que estarão no ensino médio a partir de 2022. Todas as áreas de ensino foram contempladas. Empreendedorismo Social, Programação e Biotecnologia fazem parte da nossa gama de oferta”, afirma Monique.

Segundo ela, além das mudanças estruturais, o novo ensino médio propõe também uma nova organização curricular, mais flexível, que contempla a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e conteúdos diversos, que podem ser escolhidos pelos estudantes. São os chamados Itinerários Formativos.

Com as mudanças, os estudantes continuam trabalhando as disciplinas básicas e poderão escolher conteúdos curriculares com os quais mais se identificam.
Com as mudanças, os estudantes continuam trabalhando as disciplinas básicas e poderão escolher conteúdos curriculares com os quais mais se identificam. Crédito: Colégio Americano/Divulgação

Dessa forma, a coordenadora pedagógica explica que os estudantes continuam trabalhando as disciplinas básicas, como Matemática, Português, Geografia, História, entre outros, e poderão escolher conteúdos curriculares com os quais mais se identificam. Nesse modelo, todas as escolas possuem uma base já definida pelo Ministério da Educação, mas são livres para criarem o currículo dos Itinerários Formativos.

“O novo ensino médio chega ao Brasil como forma de fortalecer o protagonismo juvenil e ampliar as possibilidades de conhecimentos e áreas de interesses dos jovens. Neste formato curricular, quanto maior a oferta para os estudantes, mais amplo o poder de escolha e o engajamento na nova proposta”, afirma Monique.

COLÉGIO AMERICANO

Telefone:

3061-9205

Site:

Rede social:

Este é um conteúdo de responsabilidade do anunciante.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Educação Ensino Médio Educação Encontro de Pais e Mestres

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.