ASSINE

Cursos profissionais a distância para atender às demandas da indústria

Referência em formação de mão de obra qualificada, o Senai reúne ofertas na modalidade virtual, mas com aulas práticas em laboratório

  • Senai - ES

  • Estúdio Gazeta

    O Estúdio Gazeta é o time de produção de conteúdo para anunciantes da Rede Gazeta, com estrutura independente da Redação de A Gazeta/CBN.
Publicado em 29/06/2021 às 11h27
Senai
Da carga horária total dos cursos, 20% são destinados às práticas presenciais nos laboratórios e oficinas das unidades. Crédito: Senai/Divulgação

Pesquisa de mercado, modernização do parque tecnológico e a oferta de cursos que atendem às demandas da indústria e de quem busca qualificação profissional de qualidade. Essa é a fórmula adotada pelo Senai-ES na formação de mão de obra dos capixabas.

A instituição atua para garantir uma educação profissional de alto nível através de cursos técnicos na modalidade de Ensino a Distância (EaD) com aulas práticas. Os encontros virtuais correspondem a 80% da carga horária total dos cursos, enquanto os 20% restantes são destinados às práticas presenciais nos laboratórios e oficinas das unidades.

Os conteúdos são apresentados em uma plataforma digital, denominada ambiente virtual de aprendizagem (AVA), por meio de material multimídia, podendo incluir vídeos, animações, simulações, textos, entre outros, elaborados exclusivamente para o desenvolvimento do curso.

A coordenadora de Educação Profissional da empresa, Aline de Oliveira, explicou que a entidade mantém o propósito de preparar os jovens que desejam ingressar na indústria e também capacitar pessoas que já atuam no setor produtivo ou queiram mudar de área da atuação.

“Um dos nossos diferenciais é a abordagem das tecnologias habilitadoras dos cursos. Desde 2018, estamos repensando conteúdos de iniciação e cursos técnicos”, ressaltou.

Para o segundo semestre deste ano, serão lançados os cursos de Tecnologia em Internet das Coisas (ou Técnico em IoT) e Tecnologia de Cibersistemas para Automação. Ambos foram desenvolvidos para habilitar profissionais interessados em acessar a indústria 4.0, responsável por integrar o processo de automatização e a tecnologia da informação.

“A comunicação entre homem e máquina está muito mais evidente no processo industrial. A 4.0 veio para poder interligar, fazer essa conexão muito forte entre a informática, o meio de transmissão de dados, compartilhamento de arquivos e a inteligência artificial”, explicou Erick Miranda, coordenador de tecnologias educacionais do Senai-ES.

A prova de que a formação do Senai é um diferencial no currículo dos seus alunos egressos é a preferência da indústria na hora de contratar os seus profissionais. De acordo com pesquisa de acompanhamento desenvolvida pela instituição, 95% preferem admitir egressos da instituição. No Espírito Santo, o índice chega a 96%, resultado do alto padrão de ensino e qualidade, com ambientes de laboratórios e oficinas onde são realizadas as práticas de alta qualidade.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais
Findes Qualificação Profissional indústria Ensino a Distância

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.