ASSINE

Pesquisa mostra os efeitos da pornografia

Um grupo de sociólogos da Universidade de Oklahoma (EUA) decidiu investigar quais os efeitos da pornografia na vida de pessoas que moram juntas

Publicado em 06/07/2020 às 17h05
Atualizado em 12/08/2020 às 09h30
Casal assistindo filme
Esse tipo de filme cria expectativas, passando a ideia de que o sexo visto  na tela é real . Crédito: Shutterstock

Você assiste a filmes pornô? Nessa quarentena, a pornografia ganhou mais adeptos. Muitas mulheres têm curtido esse tipo de filme. Apesar de a maioria preferir filmes eróticos e dos pornográficos ainda ser um tabu para algumas, outras já estão se permitindo assistir com mais liberdade.

Muitas pessoas afirmam se sentirem excitadas com esse tipo de vídeo, outras já não sentem nada. Até pouco tempo atrás, esses filmes eram idealizados para agradar o público masculino e acredito que isso fez uma bagunça na sexualidade de muita gente, pois criou expectativas surreais, dando uma ideia de que todos vivem um sexo “louco” o tempo todo. O que não é verdade.

Recentemente, um grupo de sociólogos da Universidade de Oklahoma (EUA) decidiu investigar quais os efeitos da pornografia na vida de pessoas que moram juntas. Para isso, entrevistaram 5.698 pessoas e instruíram que começassem a ver filmes do gênero. O efeito disso, após cinco anos, foi o seguinte:  5% a 10% dos homens queriam a separação e 6% a 18%  das mulheres disseram não aguentar mais. Além disso, 11% das 373 pessoas que começaram a assistir pornô durante o casamento já tinham se divorciado ao fim da pesquisa.

A explicação dada por esse grupo de pesquisadores é que as expectativas geradas por esse tipo de conteúdo podem acabar engolindo a realidade. Quando você começa a ver pornografia, passa a se questionar se o sexo de verdade tem algum problema. E o cenário só piora se unirmos a pornografia voltada apenas para o prazer masculino, com um contexto histórico machista, no qual o prazer das mulheres sempre foi subjugado.

A pornografia destrói a confiança, pois é totalmente fora da realidade, afasta as pessoas, deprime, frustra, além de gerar um vício. Assim como nas drogas, aumenta a necessidade de consumir um conteúdo cada vez mais pesado, agressivo e perverso. Se está nessa, procure ajuda.

pornografia Sexo

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.