ASSINE
Vagner Benezath é relações públicas. Vidrado em café e na cultura que envolve sua cadeia produtiva, trabalha há mais de 10 anos com a bebida, atuando como barista, consultor e torrefador

Dia Nacional do Café marca início de colheita histórica no ES

Data é celebrada no próximo domingo, 24 de maio, por toda a cadeia cafeeira. Expectativa para este ano é de que sejam colhidas mais de 15 milhões de sacas

Publicado em 20/05/2020 às 10h00
Atualizado em 20/05/2020 às 10h00
Pé de café arábica.
Grãos de café arábica maduros e prontos para a colheita. Crédito: Roberto Barros/Divulgação

É chegada a data mais importante para a cadeia cafeeira, o Dia Nacional do Café. Celebrada no próximo domingo, 24 de maio, a data simboliza o início da colheita nas regiões produtoras do país, mas não é comemorada apenas pelos cafeicultores no campo. Sua relevância também chega às cafeterias, passando por profissionais do setor, de classificadores a torrefadores e baristas.

A data especial passou a fazer parte do calendário de eventos em torno do café no Brasil em 2005, por meio da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), e ganha força a cada ano com ações especiais envolvendo todos os apaixonados pela bebida, que tem como lema "dia do café é todo dia".

Plantação de café arábica no município de Pedra Menina-ES, na região do Caparaó
Plantação de café arábica em Pedra Menina-ES, no Caparaó. Crédito: Roberto Barros/Divulgação

CUIDADOS NA SAFRA

Safra nova significa trabalho intenso no campo. É uma época de total atenção aos detalhes, à maturação dos frutos, à previsão do tempo que, caso seja chuvoso, pode atrapalhar a cata e também o pós-colheita, na hora da secagem dos grãos. Todo o planejamento deve ser bem feito, atento aos custos de mão-de-obra e ao mercado, considerando a demanda em anos anteriores.

Aqui na cidade, assistimos pelas redes sociais imagens belíssimas dos pés carregados de café, dos terreiros cheios e dos rostos sorridentes desses personagens tão importantes para nós. Em cerca de três meses começarão a aparecer nas xícaras os novos sabores, as novas histórias e as experiências que se renovam por meio do trabalho de classificadores, torrefadores e baristas, encerrando a cadeia com o preparo da bebida.

Este vídeo pode te interessar

Cafeicultor Carlos Altoé em uma tulha, onde são armazenadas as sacas de café
Cafeicultor Carlos Altoé em uma tulha, local onde são armazenadas sacas de café. Crédito: Roberto Barros/Divulgação

COLHEITA RECORDE

A expectativa para este ano é de que seja realizada a maior colheita da história do Espírito Santo, superando 15 milhões de sacas, sendo aproximadamente 10 milhões da espécie conilon/robusta e o restante da espécie arábica. O volume total representará 25% de toda a colheita no Brasil, mantendo nosso Estado como o segundo maior produtor de café, superado apenas por Minas Gerais.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, as viagens ao interior para visitar produtores e frequentar suas cafeterias para uma boa xícara de café devem ser evitadas. Será um Dia Nacional do Café atípico, bem diferente dos que estamos acostumados e gostamos, com excursões, bate-papo à mesa e no balcão e olhares atentos às histórias dos produtores orgulhosos de seu trabalho.

Acompanhe as ações da cadeia cafeeira pelas redes sociais, comente nas postagens e movimente o seu perfil com a foto antiga de uma visita ou do café que você acabou de preparar. Celebre a data com um bom café!

Acompanhe o colunista também no Instagram.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.