ASSINE
A Influencer Rayane Souza é uma das vozes no movimento Plus Size Capixaba. Já representou o Estado em diversos concursos de beleza plus size levando a bandeira do empoderamento e da auto estima da mulher plus

Gorda casa! Só não tem vestidos

Muito se fala de acessibilidade na moda, no mercado de trabalho, mas precisamos também falar do assunto no segmento de eventos. Que tal começar pelo casamento?

Publicado em 08/07/2020 às 09h01
Atualizado em 08/07/2020 às 14h57
Noiva
Mulheres gordas amam, casam, brilham... Seja de branco, rosa, ou qualquer outra cor que escolher o vestido . Crédito: @vaiternoivagorda

Vamos falar das noivinhas. Assunto que ganha força nos debates anti-gordofobia, porque muito se fala de acessibilidade na moda, no mercado de trabalho, mas precisamos também falar de acessibilidade no mundo dos eventos. E nada como começar pelo casamento.

Eu quero me casar, tenho o sonho do vestido de noiva branco (gordas usam todas as cores). Mas eu observei que não existiam referências pra mim dentro desse universo, e por quais motivos? Aí a gente precisa se lembrar de alguns pré-conceitos, e comentários que a gente ouvia quando mais nova daquela tia que fala de todo mundo: “Mocinha, tem que emagrecer senão você não vai casar!”; ou "Vai ficar pra titia, hein".  

Se a gente for parar pra analisar esses comentários, entendemos que de fato uma mulher gorda nunca pertenceu a esse lugar. O lugar de sonhar com o casamento, de se sentir como uma princesa dentro do vestido de noiva. Apenas se emagrecer.

E esse pensamento arcaico e atrasado, infelizmente toma conta do mercado até hoje, porque eu pelo menos nunca vi uma mulher gorda desfilando de noiva nos eventos do segmento da Grande Vitória. Estou falando de gordas, não apenas mulheres altas e levemente curvilíneas, sem barriga que o mercado ainda tenta nos convencer como “representatividade de corpos grandes”. A gente precisa se sentir representadas por todos os biotipos.

Eu quero ver! A gente precisa ver na vitrine, na passarela, na revista, e não queremos entrar em ateliê e receber um orçamento discrepante porque em regra “não fazemos do seu tamanho”. Ouvi de uma loja, que noivas plus sizes não eram o público para quem a marca produzia, e eu fiquei me questionando os motivos. É porque não tem tecido? Não tem agulha? Não tem costureira? Mas tem uma equipe imensa aqui, ninguém desenha? E eu acho que pensar demais nisso me fez enxergar que até no meu conto de fadas eu vou precisar enfrentar o preconceito.

Quando disse que nunca presenciei uma noiva gorda desfilando por qualquer marca que seja, isso não é apenas falta de representatividade na moda noivas, é falta de visão. Sou consumidora e ao  contrário do que muitos pacotes noivas vendem por aí, acredito que não precisamos emagrecer pra cabermos em um vestido, ele que precisa caber em nossos corpos. Afinal queremos um casamento, e não uma “silhueta”.

No meu sonho de noiva, eu ainda acredito encontrar o vestido, o tratamento e a proposta que, não só eu, mas muitas mulheres merecem viver nesse momento tão único e importante na vida.

E você noivinha, não aceite menos, não cobre menos. Mulheres gordas amam, casam, brilham... Seja de branco, rosa, ou qualquer outra cor que escolher. Só precisamos entender que por mais que nos digam o contrário, quem torna o vestido perfeito, é você.

Fique bem Casamento opinião

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.