ASSINE
Uma jornalista que ama os animais, assim é Rachel Martins. Não é a toa que ela adotou duas gatinhas, a Frida e a Chloé, que são as verdadeiras donas da casa. Escreve semanalmente sobre os benefícios que uma relação como essa é capaz de proporcionar

Seriemas são visitas constantes no terreiro de família em Venda Nova do Imigrante

A família Altoé Duarte mora no centro da cidade, mas há mais de um ano recebe a visita do casal de aves, que não sente medo e se aproxima de todos os moradores da casa. Agora, as visitantes inusitadas fizeram até um ninho no pé de mexerica no meio do cafezal

Publicado em 28/12/2021 às 02h00

A família Altoé Duarte mora no interior do Espírito Santo, em Venda Nova do Imigrante, região Serrana do Estado. Gosta de se reunir na parte externa da casa, que fica no Centro, mas abriga um morro de cafezal nos fundos.

São vários os visitantes que passam por ali, os humanos sempre prontos para uma boa prosa, além de várias espécies de animais. Mas nos últimos tempos, dois bem inusitados, que vivem no cafezal, têm se aproximado dos donos da propriedade, Vicente Santos Duarte, 68 anos, e Elza Altoé Duarte, 75. Trata-se de um casal de seriemas.

As aves sempre chegam de mansinho pelo gramado, vão se aconchegando no terreiro, ficando bem próximas dos moradores, e pelo jeito sentem-se bem à vontade no local. “Elas começaram a aparecer por aqui há mais de um ano. Quando elas vêm, a gente joga banana ou pedaços grandes de pão e elas se aproximam ainda mais da gente. É impressionante como não ficam com medo e, por isso, não fogem”, conta empolgado o patriarca.

E essa intimidade é tão grande que as duas até permitem as dezenas de imagens feitas pela família. Na verdade, os ilustres visitantes parecem fazer pose para a câmera enquanto passeiam no terreiro e desfilam imponentes exibindo o penacho diferenciado que possuem entre a cabeça e o bico. “E elas chegam bem pertinho de nós”, ressalta o simpático Santos Duarte.

Este vídeo pode te interessar

A família sempre se reúne na parte externa da casa para receber o casal de siriemas, em Venda Nova
A família sempre se reúne na parte externa da casa para receber o casal de siriemas, em Venda Nova. Crédito: Arquivo Pessoal

“A gente fica muito feliz quando elas vêm nos visitar e mais ainda quando chegam bem perto. É sinal de que nossa família tem uma energia boa, né? Senão, elas não chegariam tão próximo e nem viriam com tanta frequência”, brinca a dona da casa, dona Elza.

Além dos adultos, as netas de seu Vicente e dona Elza (Ana Beatriz, de 6 anos, Antonella, de 4 anos, e Isabella, de 3 anos) também ficam apaixonadas quando conseguem se aproximar do casal de seriemas, assim como os vizinhos que quando veem os bichos, não resistem, ficam curiosos e se aproximam para saber que animal é aquele. As duas aves ainda não têm nomes, mas será realizado um concurso entre a família.

Vicente Santos Duarte, 68 anos, e Elza Altoé Duarte, 75, donos da casa onde as seriemas são visitas habituais em Venda Nova do Imigrante
Vicente Santos Duarte, 68 anos, e Elza Altoé Duarte, 75, donos da casa onde as seriemas são visitas habituais em Venda Nova do Imigrante. Crédito: Arquivo Pessoal

EMBATE PARA DEFENDER A FAMÍLIA

As aves chamam a atenção não apenas pelo porte (pernas longas e finas e o penacho entre a cabeça e o bico), mas também pelo canto. As seriemas cantam tão forte que é possível ouvir a melodia delas mesmo quando estão no alto do morro, onde há o cafezal, a certa distância da residência da família.

E, agora, a alegria da família de Venda Nova do Imigrante de receber o casal de seriemas está ainda maior. As aves fizeram um ninho em um pé de mexerica ponkan, no meio do cafezal, e, há alguns dias, a mamãe seriema passa longas horas no criadouro cuidado dos ovos.

Ninho de seriema na propriedade de Vicente Santos Duarte e Elza Altoé Duarte, em Venda Nova do Imigrante
Ninho de seriema na propriedade de Vicente Santos Duarte e Elza Altoé Duarte, em Venda Nova do Imigrante. Crédito: Arquivo Pessoal

Os Altoé’s Duarte ainda não conseguiram ver quantos ovos há no ninho. Mas de uma coisa eles têm certeza: de que a natureza tem vez e proteção na propriedade da família. “Nós temos que preservar não apenas para nosso benefício, mas de todos que habitam o planeta. Se não agirmos assim, que futuro estaríamos deixando para nossas netas e netos? Aqui em casa, a gente cuida para deixar ainda mais belo o que já é bonito de se apreciar” destacou Santos Duarte.

O casal de seriemas é sempre bem recebido pela família Altoé Duarte, mas alguns moradores do local não gostam muito da aproximação dos bichos não! É que um casal de sabiá escolheu um pé de jabuticaba, no terreiro, também para fazer morada e aumentar a família. E qualquer possível ameaça aos filhotes é alvo de ataque e foi o que aconteceu, neste Natal, com uma das seriemas.

O vídeo feito pela família Altoé Duarte mostra a mãe sabiá dando voos rasantes e gritando alto em cima da seriema. A princípio, a ave de maior porte, parece não se importar, mas diante da insistência da outra menor chega a armar o topete demonstrando que também sabe atacar, caso seja preciso. “É incrível como os bichos se transformam para defender as crias”, diz Santos Duarte.

Desconfortável com a situação, uma das seriemas decide se afastar do pé de jabuticaba onde está o ninho do casal de sabiás. Já a outra, insiste na aproximação, mas com os gritos estrondosos da mãe sabiá também decide sair dali.

“Outro dia foi um gavião que sofreu com os sabiás. Ele se aproximou do pé de jabuticaba e os pássaros o atacaram tão forte que ele voou para longe bem rápido. Eu fiquei impressionada como uma ave tão pequena se transforma para defender a família. Achei muito bonito e não vou esquecer jamais a cena que vi”, descreveu entusiasmada dona Elza.

CANTO FORTE

A seriema (Cariama cristata) é uma ave típica do Cerrado brasileiro que pode chegar até 90 centímetros de comprimento (da ponta do bico até o fim da cauda) e pesar em média 1,4 quilos. Possui cauda longa, plumagem cinza-amarelada, com riscos finos escuros, um pouco mais claras na região do abdômen, bicos e pernas vermelhas.

O casal de seriemas e suas visitas à casa de Vicente Santos Duarte e Elza Altoé Duarte, em Venda Nova do Imigrante
O casal de seriemas e suas visitas à casa de Vicente Santos Duarte e Elza Altoé Duarte, em Venda Nova do Imigrante. Crédito: Arquivo Pessoal

É uma das poucas aves com pestanas, sendo que a crista é formada por um tufo de penas, com cerca de 10 centímetros. Também conhecida como seriema-de-pé-vermelho, seu canto pode ser ouvido a mais de um quilômetro de distância.

O cardápio desse animal exótico inclui insetos e pequenos vertebrados, como lagartos, cobras, vermes e roedores.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.