Apaixonada por vinhos, Nádia Alcalde é jornalista, sommelière e consultora. Escreve sobre o universo da bebida, antenada com lançamentos, tendências e notícias.

Vinho em lata: nova tendência de mercado chegou para ficar

Fáceis de abrir, de transportar e de gelar, as latinhas já conquistaram tanto jovens descompromissados com o protocolo do vinho quanto enófilos mais conservadores

Publicado em 09/10/2020 às 09h00
Atualizado em 09/10/2020 às 15h23
Vinho branco em lata
O vinho em lata já é sucesso nos EUA e deve continuar em expansão no Brasil . Crédito: Vinho Todo Dia

De início eu torci o nariz, pois a ideia de ter um vinho em lata não me agradava muito. Mas como assim? E o ritual de abrir a garrafa com corta-gotas e usar decantador e taça apropriada? Talvez eu faça o estilo de uma enófila tradicional, como muitos que estão lendo isso agora, mas entendo também que é um movimento de mercado e vejo a demanda tanto para o público mais jovem, descompromissado com o protocolo do vinho, quanto para os enófilos mais conservadores.

Carregar garrafas de vinho e taças para cima e para baixo não é assim uma tarefa simples. Quantas taças já quebramos no caminho  e a quantos lugares já fomos onde o vidro não era bem-vindo? Fora o abridor, que nem sempre está à mão. Isso acontece, e não acontece pouco.

Pensando bem, com a lata não teríamos mais esse problema. Bastaria abrir o lacre e beber tranquilamente. Cinema, praia, piscina, piquenique...parece uma boa, elas são fáceis de abrir, de transportar e de gelar.

Tá certo, então. Pela praticidade, convence! Mas e a qualidade da bebida? Não dá para esperar uma bebida complexa, com variedade aromática e gustativa, tratando-se de vinho em lata. Acredito em uma bebida mais simples, mas isso não significa que seja um produto ruim.

Já são várias as marcas de vinho em lata que encontramos nos supermercados. Dá até para fazer uma degustação completa, mas daquele jeito, assim como nos vinhos em garrafa: só mesmo provando para aprovar.

VANTAGENS DA LATA

No geral, os de lata são vinhos finos e secos, com versões frisante, espumante ou tranquilo (sem a presença de gás), sendo brancos, rosés ou tintos. Engana-se quem acha que a lata altera o sabor, pelo contrário. Ela tem muitas vantagens. 

A vedação completa garante a preservação dos aromas e dos sabores do vinho, que tendem a ser mais leves e frutados. Além disso, as latas possuem uma tecnologia específica, que é um revestimento interno especial para o armazenamento da bebida, evitando o contato do líquido com o alumínio.

Nádia Alcalde

Colunista

"Não dá para esperar uma bebida complexa, com variedade aromática e gustativa, tratando-se de vinho em lata. Acredito em uma bebida mais simples, mas isso não significa que seja um produto ruim. "

Há ainda um ganho ambiental: o recurso natural para a produção de alumínio é bem menor e é possível reciclar a lata após o uso, o que diminuirá a destinação desses resíduos ao meio ambiente. 

ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA

Não sei se todos esses argumentos são suficientes para você provar algum vinho em lata. Longe de querer substituir a garrafa (jamais), mas oferecer uma alternativa para o produto chegar às mãos de todos que quiserem apreciá-lo é válido - e também uma forma de democratizar e descomplicar o consumo de vinho.

Vinho tinto em lata Arya
Já são várias as marcas de vinho em lata à venda nos supermercados. Crédito: Vinho Todo Dia

Queremos e precisamos de mais e mais apreciadores da bebida, e prepare-se, pois gostando ou não, ao que tudo indica, o vinho em lata veio para ficar. Já é sucesso nos EUA e deve continuar em expansão também no mercado brasileiro. Se ainda parece estranho para você, aqui vai uma dica: prove o vinho em lata na taça. Beber direto da latinha inicialmente não rola. O que não vale é deixar de experimentar!

VINHO EM LATA: AS DICAS DA COLUNA

  • ARYA TINTO 2020 (269 ml/R$ 19, em média) 
  • Vinho produzido na Serra Gaúcha com as uvas Rebo e Pinot Noir. Corte exclusivo elaborado por Diego Arrebola, três vezes eleito o melhor sommelier do Brasil e embaixador da marca. Vinho muito aromático com cerejas, framboesas, flores secas e especiarias no nariz. Na boca é frutado e fresco, com taninos presentes e macios. O Arya tinto faturou recentemente medalha de ouro na International Canned Wine Competition, concorrendo com 226 vinhos em lata de 15 países.
  • BAROKES BRANCO (250 ml/R$ 19, em média) 
  • Marca australiana de vinho em lata elaborada com Chardonnay e Sémillon. Bastante fresco, leve e jovem, com muita fruta de caroço no nariz. Aromas de pêssego, abacaxi e mel. É um vinho branco muito versátil, fácil de harmonizar, com alta acidez e paladar bastante agradável.
Espumante em lata Ovnih Moscatel
Espumante Ovnih Moscatel em lata é produzido na Serra Gaúcha. Crédito: Vinho Todo Dia
  • OVNIH SPARKILING WINE ROSÉ (269 ml/R$ 17, em média) 
  • Espumante da vinícola Giaretta, na Serra Gaúcha, produzido com Trebbiano, Moscato e Merlot. Seus aromas remetem a frutas vermelhas e flores. Na boca, é elegante e suave, mas sem ser doce. Possui leve acidez e um ótimo frescor.
  • DARK HORSE BRUT BUBBLES (375ml/R$ 29,90, em média) 
  • Espumante californiano elaborado com Chardonnay, tem aromas cítricos como pera e maçã. No paladar é leve, frutado e delicado. Possui acidez vibrante e é super fácil de harmonizar. A linha Dark Horse conta ainda com um Pinot Grigio e um Sauvignon Blanc.

Acompanhe a colunista também no Instagram ou clique aqui para ler as colunas anteriores. 

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.