ASSINE
Apaixonada por vinhos, Nádia Alcalde é jornalista, sommelière e consultora. Escreve sobre o universo da bebida, antenada com lançamentos, tendências e notícias.

Enoturismo: um passeio pelas vinícolas da Serra da Mantiqueira

A região Sudeste do Brasil desponta na produção de vinhos e oferece um roteiro encantador onde a uva Syrah é a protagonista

Publicado em 13/05/2022 às 02h00
Degustação de vinhos na vinícola Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal, São Paulo
Degustação de vinhos na vinícola Guaspari, no interior de São Paulo. Crédito: Nádia Alcalde

A região Sul é a principal produtora de vinhos no Brasil, mas fora desse eixo vêm surgindo novas áreas que merecem atenção. É o que acontece na região Sudeste, que desponta com vinícolas de destaque bem próximas à Serra da Mantiqueira, cadeia montanhosa que se estende por São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Uma dessas vinícolas de sucesso é a Guaspari, que tive a oportunidade de visitar este mês. Ela fica a 200 quilômetros de São Paulo, na cidade de Espírito Santo do Pinhal, tradicional região cafeeira que veio aos poucos se arriscando no plantio de uvas. 

A propriedade conta com 50 hectares de vinhedo, em que estão plantadas sete variedades. Entre todas, a que melhor se adaptou foi a Syrah, e um dos rótulos com essa uva foi capa da revista Decanter, referência no mundo dos vinhos. Trata-se do Syrah Vista da Serra, safra 2017, o único rótulo brasileiro a figurar na publicação.

Vinhedo de Syrah na vinícola Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal, São Paulo
Vinhedo de Syrah com uvas que compõem o badalado Vista da Serra. Crédito: Nádia Alcalde

A Guaspari encanta logo na entrada, com um lindo casarão que fazia parte da antiga fazenda de café do local. Seu jardim tem mesas ao ar livre, onde acontecem as degustações, com vista para a Serra da Mantiqueira. Alguns vinhedos em volta dão aquele ar interessante de clima europeu.

No wine bar, que fica próximo à entrada, são servidos tábua de queijos artesanais e embutidos regionais, cafés e todos os rótulos produzidos pela vinícola.

ENOTURISMO

Além desse espaço, que é aberto ao público nos finais de semana, existem também roteiros de enoturismo, com passeios guiados entre os parreirais e apresentação de todo o processo produtivo dos vinhos, incluindo degustações e visita à cave de barricas. Esses roteiros custam a partir de R$ 130 por pessoa.

Vinícola Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal, São Paulo
Ambientes da Guaspari remetem ao clima europeu. Crédito: Nádia Alcalde

Outra oportunidade bacana é a degustação dos rótulos premium conduzida por um dos sommeliers da vinícola, que apresenta toda a linha Vista. São quatro rótulos, sendo dois brancos e dois tintos, acompanhados por petiscos. Essa degustação sai a R$ 290 por pessoa.

Durante o período de colheita, que deve ocorrer agora entre junho e agosto, também entra na lista o passeio “Sabores da Fazenda”, que acompanha a vindima e leva o dia inteiro, com café da manhã, passeios e almoço. Ambos os roteiros devem ser reservados pelo site da Guaspari.

NO INTERIOR DE MINAS

Continuando o tour pelas vinícolas que despontam no Sudeste, é possível esticar até Minas Gerais. A Casa Geraldo, localizada na cidade de Andradas, fica pertinho de Espírito Santo do Pinhal - a mais ou menos uns 25 minutos de carro.

A vinícola São Geraldo foi fundada em 1969 por imigrantes italianos e hoje surpreende pela estrutura turística. Suas instalações contam com bares, restaurantes, auditórios e salas para degustação.

Degustação de queijos e embutidos na vinícola Casa Geraldo, em Andradas, Minas Gerais
Degustação de queijos e embutidos na vinícola Casa Geraldo, em Minas. Crédito: Casa Geraldo/Instagram

A capacidade anual de produção de vinho pode chegar até dois milhões de litros, sendo a Syrah também protagonista, como na Guaspari.

Além dessa são cultivadas as uvas Sauvignon Blanc, Merlot, Cabernet Franc, Pinot Noir, Viognier e a recém-plantada Marselan. Além dos vinhos finos, a Casa Geraldo também fabrica vinhos de mesa, azeites e vinagre.

Agora, uma curiosidade sobre a São Geraldo: a vinícola recicla seus próprios vidros e aceita todas as suas garrafas de volta. A preocupação com a sustentabilidade também fica evidente com a existência de painéis de energia solar na propriedade.

Passeio pela vinícola Casa Geraldo, em Andradas, Minas Gerais
Passeio guiado pela vinícola Casa Geraldo. Crédito: Casa Geraldo/Instagram

São vários os passeios que podem ser realizados na vinícola, e você também pode ir apenas almoçar ou jantar no restaurante do local.

As visitas guiadas acontecem cinco vezes ao dia, somente em finais de semana, mas é sempre bom agendar com antecedência, pelo telefone (35) 99952-7967.

NO INTERIOR DE SÃO PAULO

Para o passeio ficar completo, depois de aproveitar uma das boas pousadas de Andradas (MG), vale percorrer mais uns 90  quilômetros até chegar em Itobi, no interior de São Paulo, onde fica a Casa Verrone.

Jantar na vinícola Casa Verrone, em Itobi, São Paulo
A vinícola Casa Verrone oferece jantares harmonizados. Crédito: Casa Verrone/Instagram

Bastante famosa por elaborar rótulos bem avaliados, como o Syrah Colheita Especial 2018, essa vinícola também organiza passeios em seus vinhedos e oferece refeições harmonizadas.

As visitas guiadas custam a partir de R$ 125 por pessoa e devem ser agendadas com pelo menos dois dias de antecedência. O telefone é (19) 99392-2921.

Piquenique na vinícola Casa Verrone, em Itobi, São Paulo
Piquenique na Casa Verrone, que fica no interior de São Paulo. Crédito: Casa Verrone/Instagram

Acompanhe a colunista também no Instagram.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Gastronomia vinhos

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.