ASSINE
Lucy Mizael é personal organizer, expert em técnicas de limpeza e rotinas domésticas. Estuda e testa receitas que visam facilitar o dia-a-dia das pessoas nos afazeres domésticos

Como incluir os filhos na organização da casa

Desde cedo devemos ensinar as crianças sobre a importância de cuidar de seus pertences pessoais. E mostrar através de ações e exemplos os benefícios e vantagens de uma casa limpa e organizada

Publicado em 11/03/2021 às 02h00
Crianças com brinquedos
Crie um cantinho da brincadeira e estabeleça horários para brincar. Crédito: Freepik

Com a chegada dos filhos tudo muda na vida de um casal. Manter a casa em ordem com crianças requer disciplina e força de vontade, mudar hábitos e ser exemplo.

A meu ver desde cedo devemos ensinar as crianças sobre a importância de cuidar de seus pertences pessoais, mostrar através de ações e exemplos os benefícios e vantagens de uma casa limpa e organizada.

Quando a criança é incluída em tarefas domésticas, ela passa a participar da dinâmica familiar e isso faz com que sinta que pertence àquele lugar. Isso une a família e ajuda seu filho a entender também como funcionam as coisas. Ela vê como as atividades feitas pelos pais são difíceis e passa a respeitar e valorizar mais esses momentos.

Minha primeira recomendação é: diminua as expectativas em relação à casa organizada, sempre impecável sem objetos espalhados. A casa tem vida e com criança fica viva, alegre e divertida.

Claro que é um desafio diário, cansa e muitas vezes irrita, mas infância é para viver de forma leve e criativa. Deixe seu filho expressar sua criatividade.

Este vídeo pode te interessar

Aqui em casa, por exemplo, toda forma de criatividade é permitida, exceto brincadeiras com cola, glitter e tintas. Moramos em um apartamento pequeno, com varanda pequena e as tintas fazem um estrago no piso, parede e estofados. Deixamos para o parque ou o quintal da vovó.  Confira algumas dicas: 

Rotina: não abra mão da rotina, tudo tem hora certa, determine horários para as tarefas escolares, as brincadeiras, a hora da refeição e a brincar hora de dormir.

Refeições: hora de comer tem que ter local específico. Na mesa com a família ou na mesinha infantil. Isso facilita a organização e limpeza, ensina regras e limites e tem como foco a alimentação.

Brinquedos: crie um cantinho da brincadeira e estabeleça horários para brincar. Delimite com tapetes, isso evita que toda a casa vire um playground. Se não tiver um cômodo, crie um espaço num cantinho da sala, quintal, varanda ou no quarto da criança. Depois da brincadeira é hora de guardar os brinquedos. Um lugar para guardar e organizar os livros evita que fiquem espalhados.

Dica de Ouro: faça rodízio dos brinquedos deixando disponível em caixas ou cestos de fácil acesso apenas os que a criança mais tem usado. Guarde os demais brinquedos e a cada mês, guarde parte dos que estavam disponíveis e coloque disponível alguns dos guardados. A criança vai ter a sensação de brinquedo novo, ficará surpresa e feliz como se estivesse ganhado um novo. Experimente essa estratégia, eu uso aqui em casa e diminui muito o número de brinquedos espalhados e o tempo gasto guardando brinquedos.

Presentes: ganhou muitos presentes de aniversário? Dê à criança os presentes ao longo dos meses não entregue todos de uma só vez, guarde alguns no alto do armário e vá entregando ao longo do ano.

Hora do banho: torne-a divertida, junte os produtos de higiene pessoal da criança numa cesta, antes do banho separe a roupa com a criança e peça a ela para pegar sua cestinha da limpeza. Leve tudo para o banheiro inclusive os brinquedos.

Guarda roupas: doe brinquedos e roupas ao menos 1 vez por ano. Evite excessos e não abarrote os armários pois dificulta a manutenção da organização.

Sonhar é preciso: a criança ama fantasias? Crie um espaço onde ela possa pegar, usar, brincar e guardar ao final. Disponibilize uma arara no armário ou compre uma com rodinhas só para este fim.

Riscos na parede: delimite um local com quadro branco, negro ou flipchat para as crianças rabiscarem, isso evita rabiscos pela casa.

Tarefas que as crianças podem desempenhar:

2 a 4 anos: pode guardar os brinquedos, colocar sua roupa no cesto, levar o pratinho para pia.

5 a 7 anos: peça ajuda para arrumar a mochila e a lancheira, pegar o uniforme no armário, guardar a mochila quando chegar da escola. Nesta fase regar as plantas se torna uma brincadeira. Com mangueira ou um potinho de água seu filho vai sentir amado e especial fazendo esta tarefa ao lado dos pais.

Acima de 8 anos: a criança pode te ajudar descarregar ou guardar as compras de supermercado, colocar a mesa para almoço ou jantar, levar o lixo para fora, fazer sua cama (mesmo que não fique perfeita, deixe-o fazer, se for o caso, depois sem ele ver você ajeita do seu jeito).

Inclua seu filho nas tarefas, mesmo ele sendo um observador. Converse com ele, compartilhem o dia a dia, conte histórias, brinque. Nesta idade talvez seu filho queira se esquivar das tarefas, mas com persistência e firmeza você consegue. Lembre-se: dê tarefas pequenas que ele consiga começar e terminar.

Pré-adolescentes e adolescentes: podem e devem ajudar com a limpeza da casa como lavar louça, lavar banheiro, ajudar na faxina, ir à padaria, colocar o lixo para fora, ajudar com o irmão mais novo, fazer seu próprio lanche, ir ao banco, arrumar seu quarto, lavar ou estender a roupa lavada.

Não desista, vale muito a pena ir adotando todos ou parte destes hábitos dando autonomia e independência às crianças. Muitas vezes ficamos tão obstinadas em fazer rápido e resolver logo, fazendo do nosso jeito e acabamos não incluindo e permitindo que os pequenos participem.

Mas você já parou pra pensar que esta é uma oportunidade de convívio direto, intenso com seus filhos? Sim! E pode acreditar, por experiência própria eles amam. Amam ligar o liquidificador, mexer o bolo, guardar as compras. Fazer as camas e depois bagunçar as almofadas quando jogamos eles na cama para fazer cócegas. Tudo é uma questão de prioridades, pense nisso! 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Lucy Mizael opinião

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.