ASSINE
Este é um espaço para falar de Política: notícias, opiniões, bastidores, principalmente do que ocorre no Espírito Santo. A colunista ingressou na Rede Gazeta em 2006, atuou na Rádio CBN Vitória/Gazeta Online e migrou para a editoria de Política de A Gazeta em 2012, em que trabalhou como repórter e editora-adjunta

Jornalistas de esquerda? No ES, políticos que saíram da TV mostram o contrário

Mandatários ou pré-candidatos, salta aos olhos a filiação de ex-repórteres ou ex-apresentadores de TV a partidos de direita. Acompanhem no replay

Vitória
Publicado em 01/07/2022 às 02h10
Novo modelo de urna eletrônica, a ser utilizado em 2022
Novo modelo de urna eletrônica, a ser utilizado em 2022. Crédito: Abdias Pinheiro/TSE

Não é de hoje que se ouve dizer, sempre por parte dos detratores, é claro, que "jornalista é tudo comunista". Poucos dos que dizem essas palavras entendem o que é jornalismo e tampouco o que é comunismo, mas enfim. 

A ideia central parece ser que jornalistas são de esquerda, embora esse também seja um conceito que poucos dominam, e não podemos culpá-los, afinal o recorte ideológico cunhado na Revolução Francesa talvez não abarque mesmo os tempos atuais.

Supondo que ser de esquerda signifique ser progressista e não conservador e estar filiado a um partido de esquerda, no entanto, vários jornalistas ou apresentadores de TV com mandato no Espírito Santo ou que pretendem chegar lá mostram que esse não é um estereótipo verdadeiro.

É claro que, sim, via de regra, jornalistas são progressistas. Há poucos bolsonaristas entre nós, por exemplo. Um pilar básico da democracia é a liberdade de imprensa. E líderes autocratas, como Bolsonaro, não primam por preceitos democráticos.

O que não quer dizer que sejamos todos comunistas ou socialistas. Nesse espectro também há autocratas. É óbvio, mas o óbvio precisa ser dito.

Voltando aos mandatários, vejam só. Torino Marques, ex-apresentador da TV Tribuna, é deputado estadual eleito em 2018 pelo PSL de Jair Bolsonaro (hoje no PL). 

É um integrante da bancada de oposição ao governador Renato Casagrande (PSB) na Assembleia e faz coro a pautas bolsonaristas. Deixou o União Brasil (resultado da fusão de PSL e DEM) e migrou para o PTB, que transformou-se em um partido de direita, também da base de Bolsonaro.

No Espírito Santo, o PTB apoia a pré-candidatura do ex-deputado federal Carlos Manato (PL) ao governo. Torino é pré-candidato a deputado federal.

O deputado federal Amaro Neto elegeu-se pela primeira vez em 2014, pelo PPS (hoje Cidadania), um partido de centro-esquerda, é verdade. Mas não ficou muito tempo por lá. 

Em 2016, disputou a Prefeitura de Vitória pelo Solidariedade que, embora esteja ligado a um líder sindical, Paulinho da Força, não pode ser considerado uma legenda de esquerda.

Amaro também teve passagem meteórica pelo Partido da Mulher Brasileira (hoje Brasil 35) e acabou aportando no Republicanos, que arvora ser o único partido realmente conservador do Brasil. 

O deputado apresentou por vários anos o Balanço Geral, da Rede Record, um programa baseado no noticiário policialesco. E ainda estava na TV, aos sábados.

Outro apresentador do mesmo programa, Douglas Camargo agora é pré-candidato a deputado estadual pelo PSD, um partido de direita, que quer eleger o ex-prefeito de Linhares Guerino Zanon governador do estado.

A ex-repórter da TV Gazeta Camila Domingues também resolveu aparecer nas urnas, pelo lado de dentro. É a vice do ex-secretário da Fazenda da Prefeitura de Vitória Aridelmo Teixeira na corrida pelo Palácio Anchieta. Os dois são filiados ao Novo, mais um partido de direita.

O jornalista Jorge Félix, outro egresso da TV Gazeta, que atuou na área de esportes, filiou-se ao PSC, o Partido Social Cristão, que tem como missão e valores "a redução da maioridade penal", "contra a legalização do aborto", entre outros tópicos conservadores. 

No Espírito Santo, a sigla é presidida pelo pastor Reginaldo Almeida e apoia o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), na disputa pelo governo estadual.

Colunista social, Wesley Sathler é pré-candidato a deputado federal pelo União Brasil, também de direita. O deputado federal Felipe Rigoni é pré-candidato ao governo pelo partido, que tem um nome próprio à Presidência da República, Luciano Bivar.

Para completar, o apresentador de TV e jornalista Ferreira Neto é pré-candidato a deputado estadual pelo Podemos, um partido de centro-direita que integra a base aliada ao governador. O prefeito de Vila Velha, Arnaldinho Borgo (Podemos), confirmou à coluna que Ferreira Neto está no páreo.

"O OUTRO LADO"

Há alguns pontos fora da curva, digamos assim. Ted Conti, que apresentou por muitos anos o ESTV 2, da TV Gazeta, filiou-se ao PSB de Casagrande, um partido de centro-esquerda, e foi deputado federal, como suplente de Paulo Foletto (PSB). Ted tenta voltar à Câmara no próximo pleito.

Outro egresso da TV Gazeta, Philipe Lemos ia se filiar ao Avante, de direita, mas foi para o PDT, uma sigla de esquerda que integra a base de apoio a Casagrande. Philipe quer ser deputado federal.

E Eliana Gorritti, ex-repórter da TV Gazeta e da Rede Record, está na Rede do ex-prefeito da Serra Audifax Barcelos. Ela vai tentar uma vaga de deputada estadual. A Rede é um partido de esquerda. O mesmo não se pode dizer do próprio Audifax, que quer ser governador.

Pode-se argumentar que o apelo popular de alguns desses candidatos ou mandatários jornalistas os identifica mesmo com partidos conservadores. 

A espetacularização da violência em programas de TV policiais, por exemplo, tem a ver com os valores apregoados por essas siglas, que flertam com o bordão "bandido bom é bandido morto", com a ampliação do armamento para civis, entre outras pautas.

Não quer dizer que todo o jornalismo esteja fincado nesses pilares. Nem todo jornalista.

Também é preciso observar que não é por estar filiado a um partido que, automaticamente ou necessariamente, o candidato ou parlamentar reze mesmo pela cartilha da legenda. Jornalista ou não, o que dita a política no Brasil é o pragmatismo.

Mas o fato é que não tem ninguém cantando o hino da Internacional Comunista por aí.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Eleições 2022 jornalismo Tv Letícia Gonçalves

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.