ASSINE
Isabela Castello, administradora e designer, apaixonada pelo universo criativo, sua coluna aborda conteúdos sobre arte, design, arquitetura e urbanismo.

Inspiração: a delicadeza das técnicas florais japonesas

Para celebrar as 100 edições da coluna, vou falar sobre as técnicas florais japonesas que sempre me inspiraram, tamanha sua beleza, apesar de seu minimalismo e delicadeza

Publicado em 27/02/2021 às 02h00
Decoração
Ikebana:  sempre fui uma admiradora dessa técnica e me encanto sempre, pois cada arranjo é dotado de uma beleza única. . Crédito: Divulgação

Chegamos à edição 100 da coluna Vão Livre! Em todas essas edições, foi um prazer compartilhar com os leitores tantos projetos, produtos, obras de arte, inspirações e contribuir para que tenhamos espaços residenciais e comerciais mais belos e que proporcionem bem-estar.

Nessa edição tão especial - afinal 100 é um número marcante - queria um conteúdo especial, algo que falasse de beleza, de leveza, de delicadeza, tudo isso que é tão importante e tão necessário nas nossas vidas e no nosso mundo.

Surgiu, então, a ideia de falar sobre ikebana, bonsai e kokedama, técnicas florais japonesas que sempre me inspiraram, tamanha sua beleza, apesar de seu minimalismo e delicadeza.

Sempre fui uma admiradora dessas técnicas e me encanto sempre, pois cada arranjo é dotado de uma beleza única. Uma forma que escolhi para celebrar as 100 edições da coluna, que tem como propósito levar beleza e inspiração para os ambientes.

Ikebana

Decoração
O Ikebana é um arranjo para ser visto de frente, portanto, uma mesa central não é o local ideal para ele. Crédito: Divulgação

A origem do Ikebana, arte milenar japonesa, ainda não é um consenso. Para alguns estudiosos, essa técnica teve seu início com a dedicação de flores para Buda. Em documentos antigos, estão registradas as oferendas de flores de Lótus a Buda nas cerimônias realizadas no Templo Todai. Outros datam sua origem de 607 d.C, quando uma missão diplomática da China a introduziu no Japão.

Segundo registros, foi no século XIV que a oferenda religiosa passou a ter também um caráter estético, sendo praticado por nobres. Seu foco são os caules e folhas, em vez das próprias flores. Criando assim um arranjo floral com harmonia linear, rítmica e colorida. Na arte ikebana, procura-se retratar o equilíbrio existente no universo, unindo o céu (shin), o homem (soe) e a terra (tai ou hikae), em um mesmo arranjo.

Decoração
No Japão, os arranjos de Ikebana são normalmente colocados onde os hóspedes são recebidos, como uma forma de acolhê-los. Crédito: Divulgação

O Ikebana é um arranjo para ser visto de frente, portanto, uma mesa central não é o local ideal para ele. No Japão, os arranjos de Ikebana são normalmente colocados onde os hóspedes são recebidos, como uma forma de acolhê-los, portanto, um hall de entrada, na sala de visitas, é o lugar mais tradicional.

 Bonsai

Bonsai
Bonsai é uma técnica específica de cultivo de árvores, que permite que elas fiquem de pequeno porte, mantendo as características da árvore original. Crédito: Divulgação

Embora a palavra ‘Bon-sai’ seja japonesa, a arte tem origem no império chinês. Por volta do ano 700 a.C., os chineses começaram a arte do pun-sai, usando técnicas especiais para cultivar árvores anãs em bandejas.

Originalmente, apenas a elite da sociedade praticava o pun-sai, e, assim, as árvores foram espalhadas por toda a China, como presentes de luxo. Durante o Período Kamakura, a arte foi introduzida no Japão.

Bonsai
O objetivo da técnica é criar uma composição artística e trazer um pouco da natureza para dentro de casa. Crédito: Divulgação

Os japoneses desenvolveram o Bonsai, com a influência do zen-budismo. Muitas técnicas, estilos e ferramentas, largamente conhecidos hoje, foram criados no Japão. Embora conhecido de forma limitada fora da Ásia por três séculos, recentemente o Bonsai passou a ser difundido fora de seus países de origem.

O Bonsai não é um tipo de árvore, mas uma técnica específica de cultivo de árvores, que permite que elas fiquem de pequeno porte, mantendo as características da árvore original. O objetivo da técnica é criar uma composição artística e trazer um pouco da natureza para dentro de casa, especialmente, em pequenos espaços, como é o caso do Japão.

Kokedama

A técnica kokedama, que significa “bola de musgo”, é um método de cultivo, de origem japonesa, que surgiu no século 17. Ela consiste em envolver as raízes com uma bola compacta de substrato, com terra adubada argilosa, fibra de coco, musgo e húmus. As kokedamas podem ficar suspensas ou apoiadas em pequenas bandejas ou móveis.

Decoração
A técnica kokedama consiste em envolver as raízes com uma bola compacta de substrato, com terra adubada argilosa, fibra de coco, musgo e húmus. Crédito: Divulgação

Chamam atenção pela beleza e delicadeza. E, a depender do tipo de planta, são de simples manutenção. Basta borrifar água diariamente ou mergulhar a bola de musgo semanalmente em um recipiente com água, até que as bolhas de ar parem de subir. O resultado são pequenas esculturas verdes que embelezam qualquer lugar onde esteja.

decoracao

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.