ASSINE
Isabela Castello, administradora e designer, apaixonada pelo universo criativo, sua coluna aborda conteúdos sobre arte, design, arquitetura e urbanismo.

Coluna Terra: sustentabilidade, consumo consciente e meio ambiente

Isabela Castelo, que também escreve sobre arte, arquitetura e design na coluna Vão Livre, assume o novo conteúdo que será publicado quinzenalmente a partir de hoje

Publicado em 06/02/2021 às 02h00
Lixo
Nos últimos dez anos, a geração total de resíduos sólidos urbanos no Brasil cresceu 19%,. Crédito: Reprodução Pinterest

Após quatro anos e 98 edições, assinando a coluna Vão Livre, começo hoje uma nova coluna, com conteúdos sobre sustentabilidade, consumo consciente e meio ambiente. Sou apaixonada por essa temática, assim como por arte, arquitetura e design. Ambos os conteúdos me movem, me inspiram, me interessam e estão presentes na minha vida. Estou muito feliz com mais essa oportunidade de compartilhar conteúdos com nossos leitores.

Entendo que tratar desses temas é cada vez mais urgente e relevante para a nossa sociedade. Nesse espaço, vou trazer conteúdos, informações e reflexões importantes para que possamos cuidar melhor da Terra, nosso planeta, nossa casa!

Você sabia?

Lixo na Praia
  A quantidade de resíduos sólidos urbanos destinados inadequadamente no Brasil cresceu 16% na última década. . Crédito: Reprodução Pinterest

Geração de lixo: Nos últimos dez anos, a geração total de resíduos sólidos urbanos no Brasil cresceu 19%, subindo de 67 milhões de toneladas por ano, em 2010, para 79,6 milhões de toneladas por ano, em 2019.

Destinação inadequada: A quantidade de resíduos sólidos urbanos destinados inadequadamente no Brasil cresceu 16% na última década. Passou de 25,3 milhões de toneladas por ano em 2010 para 29,4 milhões de toneladas por ano em 2019. 
Em 2010, 43,2% do total de resíduos eram descartados de forma incorreta (para lixões ou aterros controlados).

Coleta: A quantidade de resíduos coletados no país cresceu 24%, chegou a 72,7 milhões de toneladas e atingiu 92% de cobertura no país, índice que implica deficit de 6,3 milhões de toneladas por ano sem coleta, que acabam abandonadas no meio ambiente.

Fonte: Associação Brasileiras das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais

A boa notícia: loja sustentável de resíduos plásticos

Loja Sustentável O Boticário é parte do projeto Boti Recicla
Loja Sustentável O Boticário é parte do projeto Boti Recicla. Crédito: Divulgação

O Boticário deu mais um passo inovador em relação à responsabilidade socioambiental. Inaugurou, em novembro, a pop up sustentável, no Parque Ibirapuera, em São Paulo. O projeto chega para revolucionar a experiência de varejo — atendendo aos códigos contemporâneos de consumo voltados para a sustentabilidade – e ainda faz um convite muito especial para as pessoas: adotar o descarte adequado de embalagens, contribuindo com a reciclagem e com o futuro do planeta.

A iniciativa faz parte do compromisso que o Boticário tem com a sociedade e com o meio ambiente há décadas, reforçando sua liderança em fomentar soluções criativas em direção a um futuro possível e mais limpo. O novo espaço é uma pop up de 47,5m2 e é composto por até 3 toneladas de plástico reciclado, considerando paredes e piso.

A iniciativa é uma parceria da marca com a Urbia Gestão de Parques, concessionária que administra o Parque Ibirapuera. É a primeira das 9 lojas feitas de resíduos plásticos que o Boticário abrirá no Brasil, sendo mais três em São Paulo, duas no Rio Grande do Sul, duas no Paraná e uma no Ceará.

O lançamento da primeira unidade veio reforçar o projeto Boti Recicla. Criado em 2006, é atualmente o maior programa de logística reversa em pontos de coleta do país, com quase 4 mil pontos espalhados em 1.750 cidades brasileiras. Nos bastidores, toda a rede de franqueados e força de vendas atuam em prol de um benefício coletivo, com cerca de 20 cooperativas homologadas e transportadoras parceiras.

O que podemos fazer?

Opções de coleta seletiva
Fazer coleta seletiva é uma das formas de contribuir com o planeta. Crédito: Reprodução Pinterest

É fácil contribuir para melhorar essa realidade e reduzir a produção de lixo e descarte indevido. A lógica é sempre a dos 3R's. Reduzir, reutilizar e reciclar. Cabe a cada um de nós:

  •  Reduzir o consumo de produtos com embalagens plásticas; Opte por embalagens de papel ou refil;
  • Comprar empresas que adotem políticas de logística reversa e reciclagem de materiais;
  • Reutilizar produtos plásticos sempre que possível. Na internet, tem muitas ideias para reaproveitamento desses materiais;
  • Fazer coleta seletiva, contribuindo para o descarte correto e para a reciclagem dos materiais. Só precisa ter duas lixeiras, uma para o lixo orgânico e outra para o lixo reciclável. E fazer o descarte adequado, nas respectivas lixeiras que devem ter em seu prédio ou no eco posto do seu bairro.
Meio Ambiente opinião

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.