ASSINE
Jornalista de A Gazeta há 10 anos, está à frente da editoria de Esportes desde 2016. Como colunista, traz os bastidores e as análises dos principais acontecimentos esportivos no Espírito Santo e no Brasil

Jorge Jesus seguirá como uma sombra onipresente no futebol brasileiro

Técnico português só deixará de ser uma "divindade" no Brasil se um dia retornar e não ganhar nada. Caso contrário será sempre a primeira opção dos clubes grandes

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 28/12/2021 às 18h48
O técnico Jorge Jesus, do Benfica
Jorge Jesus será sempre a primeira opção dos grandes times brasileiros. Crédito: Reprodução Benfica

Se existe uma fórmula para ficar eternizado nas mentes e nos corações de um determinado grupo é encerrar sua trajetória no auge, e sem oferecer qualquer oportunidade ao fracasso. Talvez Jorge Jesus não imaginava, mas quando deixou o Flamengo após a conquista do Campeonato Carioca de 2020, o treinador criou para si uma áurea de divindade que não será desconstruída tão cedo no futebol brasileiro.

O técnico português, desligado do Benfica, nesta terça-feira (28), se tornou uma sombra no Flamengo desde sua saída  após a conquista do Campeonato Carioca 2020. Domènec Torrent, Rogerio Ceni e Renato Gaúcho, em suas curtas trajetórias à frente do clube, em algum momento sofreram com as comparações com o português.

É verdade que o futebol apresentado pelo Flamengo de Jorge Jesus em 2019 encantou o Brasil. Mais do que faturar o Brasileirão e a Libertadores, o time jogava com uma intensidade pouco vista por aqui. Sempre encurralava os rivais e vencia atuando de uma forma agradável aos olhos de quem gosta de futebol.

O desempenho de Jorge Jesus no Flamengo deixou inúmeras “viúvas”. Primeiro foram os torcedores rubro-negros, e agora vários outros que manifestam o desejo de ter o treinador comandando o time de coração. O Atlético-MG, surpreendido com a saída de Cuca, já mira o português como sua primeira opção. Há também quem peça Jorge Jesus no lugar de Tite no comando da Seleção Brasileira.

Este vídeo pode te interessar

Jesus é um excelente profissional, mas sabe que a probabilidade de repetir o ano mágico que teve em 2019 é mínima. A chance de uma frustração é muito maior que a de um novo sucesso. Talvez isso também pesou para ele enrolar o Flamengo na negociação e evitar o seu retorno, já que o clube encaminhou a contratação de Paulo Sousa, outro português.

Fato é que o treinador só perderá a mística ao seu redor no dia que decidir retornar ao futebol brasileiro e por acaso não obter sucesso. O que o faria entrar na ciranda junto aos demais treinadores que trabalham no país. Mas enquanto isso não acontece, seguirá intocável no “Olimpo” dos técnicos.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Futebol flamengo flamengo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.