ASSINE

A curiosa lenda da árvore que "chora" à meia-noite em vila de Viana

A equipe do Em Movimento, da TV Gazeta, visitou a comunidade de Araçatiba para conhecer a misteriosa história

Publicado em 21/08/2021 às 10h01
A árvore fica localizada na comunidade de Araçatiba, em Viana
A árvore fica comunidade de Araçatiba. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

A Vila de Araçatiba, em Viana, guarda uma misteriosa lenda. Dizem que, na comunidade, uma árvore, de mais de 500 anos, chora à meia-noite. O som do choro, ainda segundo a lenda, seria similar a de um bebê. Para conferir essa história, a equipe do programa Em Movimento, da TV Gazeta visitou a região em busca de moradores que já ouviram relatos na região.

A história é passada de geração em geração. De acordo com moradores, quando a árvore foi plantada, uma criança foi enterrada junto com ela. Fato é que a lenda atrai muitos curiosos para a região.

Os guias mirins de Araçatiba conhecem bem a história. Anna Luiza, uma criança da comunidade, conta que um casal vivia na região em uma casa de madeira. Certo dia, a mulher engravidou. Porém, no dia do parto, ela acabou não resistindo e veio a falecer. O marido, pai do bebê que havia nascido, não queria ficar com a criança. Com isso, ele pegou uma caixa, colocou o bebê dentro, fechou, cavou um buraco e colocou a criança dentro, com uma semente em cima.

Cipós gigantes da
Cipós da árvore que chior. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Milena Campos, outra jovem da região, complementa a história contando que a semente era de uma árvore africana, chamada Mulembá, também conhecida como figueira africana.

OUTRA VERSÃO PARA O BARULHO DA ÁRVORE

Já o guia mirim João Pedro tem outra versão da história. "À meia-noite vem um vento muito forte, que não é o bebê que chora". Ele diz que é o cipó da árvore, em contato com o vento, que reproduz uma espécie de arranhado sonoro, similar ao barulho de um bebê chorando.

Antigo morador de Araçatiba,  Marcelo Pimentel comenta que, anos atrás, as mulheres saiam de suas casas para buscar água e ficavam embaixo da árvore para se esconder do sol. São muitas histórias que cercam a figueira africana.

Comunidade de Araçatiba, em Viana, que abriga a figueira africana
Comunidade de Araçatiba, em Viana. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

A relação da região com a África não é por acaso. O distrito abriga cerca de 200 famílias de descentes de africanos e indígenas. Toda a região foi uma antiga fazenda, que contava com o trabalho de escravizados. Por lá, existiam engenhos, senzalas e oficinas. Desde essa época, a árvore já existia.

Curiosos para ouvir o famoso "choro do bebê" à meia-noite, a repórter Luanna Esteves e o cinegrafista Samy Ferreira retornaram ao local onde fica localizada a árvore misteriosa. De fato ouviram um certo barulho na região, mas, pela escuridão do momento, e por não terem saído do carro por medo, não chegaram a confirmar a veracidade do choro da árvore.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Capixapédia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.