ASSINE

Covaxin: servidor disse que avisou Bolsonaro que três superiores o pressionaram

A conversa ocorreu no dia 20 de março, com ele estava o irmão, o deputado Luís Miranda (DEM-DF)

Publicado em 25/06/2021 às 19h43
Servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Fernandes Miranda em depoimento à CPI da Covid
Servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Fernandes Miranda em depoimento à CPI da Covid. Crédito: Pedro França/Agência Senado

O servidor Luis Ricardo disse que relatou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que três superiores do Ministério da Saúde haviam o pressionado para agilizar os trâmites de importação da vacina.

Ele citou os nomes de Roberto Ferreira Dias, diretor de Logística do Ministério da Saúde; tenente-coronel Alex Lial Marinho, ex-coordenador-geral de Logística de Insumos Estratégicos para Saúde e coronel Marcelo Bento Pires, ex-diretor de Programa do Ministério da Saúde.

Ele disse que o presidente se comprometeu em apresentar à Polícia Federal os fatos para serem investigados. A conversa ocorreu no dia 20 de março, com ele estava o irmão, o deputado Luís Miranda (DEM-DF).

A Gazeta integra o

Saiba mais
Corrupção Jair Bolsonaro Covid-19 CPI da Covid Vacinas contra a Covid-19

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.