ASSINE

2022 começou "cedo demais", afirma Mourão

Para o vice-presidente da República, o embate entre Jair Bolsonaro e João Doria deve continuar até o "desfecho nas urnas"

Publicado em 15/12/2020 às 09h49
Vice-presidente da República, Hamilton Mourão
Vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse que a disputa eleitoral de 2022 foi colocada em pauta "cedo demais". Crédito: Carolina Antunes/PR

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta segunda (14), em entrevista ao Estadão/Broadcast, que a disputa eleitoral de 2022 foi colocada em pauta "cedo demais". Para ele, o embate entre o presidente Jair Bolsonaro e seu adversário político João Doria (PSDB), governador de São Paulo e um dos pré-candidatos à sucessão, deve continuar até o "desfecho nas urnas".

"A campanha eleitoral para 2022 foi colocada na rua cedo demais. Então, a partir daí, é aquela história, ela partiu e não dá mais para ser recolhida. Na minha visão, vai continuar esse clima (de embate)", avaliou. O vice-presidente opinou que Doria "vem fazendo uso dos mais variados meios para se colocar em evidência e sempre buscando ser um contraponto ao nosso governo".

Apesar disso, a briga política se mantém no campo declaratório e da retórica, segundo Mourão. "Esse embate está muito nas palavras. Quando vocês forem olhar ações concretas, não tem ação concreta. Nem o governo federal está prejudicando o governo de São Paulo e nem o governo de São Paulo vai fazer uma nova Revolução de 32", comentou.

Na visão do vice-presidente, a discussão está pautada, em especial, na questão da vacina contra a Covid-19, que para ele é usada como "instrumento político". "Está havendo uma discussão muito grande em torno de algo que ainda não existe", opinou Mourão, ao lembrar que o Brasil ainda não tem imunizantes certificados.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.