ASSINE

Saúde bucal em dia pode prevenir câncer de mama

Pesquisa aponta que a periodontite também pode estar relacionada a distúrbios de infertilidade, complicações na gravidez e partos prematuros

Publicado em 23/10/2020 às 06h00
Atualizado em 23/10/2020 às 06h01
Mulher cobrindo os seios: estudo de câncer de mama reacende debate sobre quando iniciar mamografias periódicas
Pesquisa revela que a periodontite pode ser um fator de risco para o surgimento de câncer de mama em mulheres. Crédito: Shutterstock

A periodontite, doença bucal caracterizada por uma infecção grave na gengiva e ossos que sustentam os dentes, pode ser um potencial fator de risco para o desenvolvimento de câncer de mama. É o que indica uma meta-análise realizada por um grupo de especialistas com base em 11 estudos epidemiológicos e publicada na revista Frontiers in Oncology. Como diversos tumores podem ser formados a partir de processos inflamatórios, a pesquisa revela que a periodontite pode ser um fator de risco para o surgimento de câncer de mama em mulheres.

De acordo com o estudo, há uma prevalência de casos de doenças periodontais entre as mulheres em diversas etapas da vida, como puberdade, período menstrual, gravidez e menopausa. Isso acontece porque a constante variação de hormônios nas mulheres propicia o surgimento de inflamações. O estudo aponta uma relação entre a doença periodontal e o desenvolvimento de várias doenças, como distúrbios de infertilidade, complicações na gravidez, partos prematuros e, em alta incidência, o câncer de mama.

A oncologista Fernanda Cesar, do Cecon/Oncoclínicas, conta que também tem um estudo que mostra a associação entre pacientes com infecção na boca e o aumento do câncer de mama. O estudo da revista Cancer Epidemiology Biomarkers & Prevention avaliou 2.124 mulheres na pós-menopausa por 6,7 anos e mostrou que 26,1% das mulheres tiveram aumento na incidência de câncer de mama, principalmente as fumantes. "A pesquisa revela que a inflamação crônica está, sim, associada ao aumento de câncer de mama em mulheres na pós-menopausa, especialmente em fumantes. Há ainda a meta-análise, que mostra uma pequena associação com periodontite e aumento de câncer de mama. Por isso, a implementação para prevenir e tratar a doença periodontal tem significância importante em saúde pública. Mas são necessários mais estudos consistentes para confirmar essa associação, não dá para dizer que é algo comprovado, esses são apenas estudos de observação", diz.

SINAIS DE ALERTA

A médica explica que a saúde bucal também deve ser priorizada, por isso, a mulher deve sempre cuidar das gengivas, escovar os dentes regularmente e ir ao dentista pelo menos uma vez por ano. "As mulheres devem ficar alertas aos sinais e sintomas como gengivas inchadas e avermelhadas, gengivas sensíveis e com sangramento fácil, dente amolecido e mau hálito ou gosto ruim na boca que não se resolve facilmente", diz Fernanda Cesar.

Fernanda Cesar

Oncologista

"As mulheres devem ficar alertas aos sinais e sintomas como gengivas inchadas e avermelhadas, gengivas sensíveis e com sangramento fácil, dente amolecido e mau hálito ou gosto ruim na boca que não se resolve facilmente""

O tratamento efetivo da doença periodontal pode ser considerado uma medida efetiva de prevenção dos casos de câncer de mama no Brasil e no mundo. O dentista Sérgio Bernardes, da Neodent, explica que a doença periodontal tem sintomas pontuais e que devem ser tratados o quanto antes. “Mau hálito, inflamação na gengiva, sangramento durante a escovação dos dentes, dor e gengiva com a cor mais escura são alguns dos sinais e devem ser tratados com urgência”, afirma.

O dentista conta que para resolver o problema é necessário eliminar o agente causador. Por isso, o tratamento vai envolver sempre a raspagem dos dentes, a profilaxia (que é a limpeza feita no consultório) e a orientação de higiene bucal. "O sucesso do tratamento depende diretamente da cooperação do paciente. Em casos agudos ou mais graves, o profissional pode também aliar ao tratamento o uso de antibióticos e até de cirurgias", diz Sérgio Bernardes.

Sérgio Bernardes

Dentista

"Em casos agudos ou mais graves, o profissional pode também aliar ao tratamento o uso de antibióticos e até de cirurgias"

Ele explica que a pesquisa associou a  periodontite ao câncer de mama porque diversos tumores podem ser formados a partir de processos inflamatórios. O estudo mostrou uma prevalência de casos de doenças periodontais entre as mulheres em diversas etapas da vida, como puberdade, período menstrual, gravidez e menopausa. Isso acontece porque a constante variação de hormônios nas mulheres propicia o surgimento de inflamações. Então vemos uma relação entre a doença periodontal e o desenvolvimento de várias doenças, como distúrbios de infertilidade, complicações na gravidez, partos prematuros e, em alta incidência, o câncer de mama". 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.