ASSINE

Saiba quais são os melhores e piores tipos de panelas para sua saúde

Os modelos de vidro, cerâmica, barro, porcelana e aço cirúrgico seguidos dos de ferro, ferro esmaltado e pedra-sabão, são os que trazem menos risco à saúde, desde que obedeçam aos padrões estabelecidos para esse tipo de produto

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 01/07/2021 às 18h17
Fazendo comida na panela
Alguns tipos de panelas são melhores que outras quando o assunto é saúde. Crédito: Freepik

Agora que você descobriu que não basta ter apenas atenção nos alimentos à mesa, mas é necessário também verificar como foram preparados, já que alguns contaminantes na cozinha podem minar a saúde do cérebro, saiba que o recipiente que você utiliza para preparar a comida também influencia no valor nutricional dos alimentos e no seu bem-estar. Ou seja, alguns tipos de panelas são melhores que outras quando o assunto é saúde.

A médica nutróloga Marcella Garcez, diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), explica que os recipientes e panelas utilizadas no preparo dos alimentos podem impactar na qualidade final do preparo, tanto pela possibilidade de interações entre os elementos químicos que compõe os recipientes, como pelas temperaturas suportadas e transferidas aos alimentos. "As panelas de ligas metálicas e as revestidas danificadas podem prejudicar a saúde. Particularmente as antiaderentes que contêm PFOA (ácido perfluorooctanóico) e de alumínio também não são muito recomendáveis, devido à possibilidade de desprendimento do material nos alimentos", conta.

Fazendo comida na panela
Alguns tipos de panelas são melhores que outras quando o assunto é saúde. Crédito: Freepik

As panelas de alumínio, comum nos lares brasileiros, são leves, baratas e boas condutoras de calor, mas não são recomendadas para todas as preparações. "Molhos ácidos e salgados, induzem maior liberação de alumínio nos alimentos. O ideal é não as deixar brilhando na parte interna para não aumentar o risco de contato do alumínio com os alimentos. Porque oferecem risco de contaminação por alumínio", explica. 

A médica esclarece que não há exatamente uma melhor panela para cozinhar, isso depende dos usos que cada pessoa fará dela. "Os modelos de vidro, cerâmica, barro, porcelana e aço cirúrgico seguidos dos de ferro, ferro esmaltado e pedra-sabão, são os que trazem menos risco à saúde, desde que obedeçam aos padrões estabelecidos para esse tipo de equipamento", conta. Na sequência, os modelos de metal, de titânio e de cobre podem ser boas opções, se utilizados de maneira correta. "Combinar o uso de panelas diversas, levando em conta cada uma de suas características, também pode ser uma solução", sugere a médica.

OS RISCOS

Marcella conta que as panelas de inox e de pedra podem liberar níquel, as esmaltadas se estiverem danificadas podem liberar chumbo, as de cobre devem ter seu interior revestido, caso contrário podem liberar cobre. 

Marcella Garcez

Médica nutróloga

"Panelas de metal devem estar em ótimas condições e ser utilizadas apenas no momento de cozimento e as revestidas devem estar perfeitas e utilizadas com utensílios que não danifiquem seu revestimento"

Os riscos para o organismo causados pela intoxicação de metais tóxicos são muitos e incluem dores de cabeça, problemas gastrointestinais, hipertensão, doenças cardiovasculares, infertilidade, neoplasias, disfunções hepáticas, renais e neurológicas. "Logicamente causadas por exposição excessiva ou em pessoas mais suscetíveis", esclarece a médica.

OS CUIDADOS

O que deve ser avaliado na hora de escolher a panela e comprar os utensílios domésticos? A médica esclarece que os utensílios devem estar em perfeito estado e ser adequados para o tipo de utilização. Ela conta ainda que as panelas metálicas, mesmo as revestidas, não devem ser utilizadas para armazenar alimentos, por causa do risco de contaminação com elementos tóxicos. "As únicas exceções são as panelas de vidro e cerâmica".

Para a limpeza, o ideal é que seja feita utilizando produtos e materiais não muito abrasivos, para evitar danos nos revestimentos ou desprendimento de metais tóxicos.

TIPOS DE PANELAS

Não há exatamente uma melhor panela para cozinhar, isso depende dos usos que você tirará dela.

  • Os modelos de vidro, cerâmica, barro, porcelana e aço cirúrgico seguidos dos de ferro, ferro esmaltado e pedra-sabão, são os que trazem menos risco à saúde humana, desde que obedeçam aos padrões estabelecidos para esse tipo de equipamento.

  • As panelas de metal, de titânio e de cobre podem ser boas opções, se utilizadas de maneira correta.

  • Panelas de ligas metálicas e as panelas revestidas danificadas podem prejudicar a saúde.

  • As antiaderentes que contêm PFOA (ácido perfluorooctanóico) e de alumínio também não são muito recomendáveis, devido à possibilidade de desprendimento do material nos alimentos.

  • Panelas de alumínio são leves, baratas e boas condutoras de calor, mas não são recomendadas para todas as preparações. Molhos ácidos e salgados, induzem maior liberação de alumínio nos alimentos.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Fique bem Alimentação Saúde

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.