ASSINE

Catarata: entenda mais sobre a doença e veja dicas de prevenção

No início deste mês, a apresentadora Ana Maria Braga passou por cirurgia nos olhos por conta da doença, que está entre as cinco principais patologias oculares

Vitória
Publicado em 20/09/2021 às 15h50
Ana Maria Braga aparece de tapa-olho após cirurgia:
Ana Maria Braga aparece de tapa-olho após cirurgia: "Pirata moderna". Crédito: @anamaria16 | Instagram

No dia 6 de setembro, a apresentadora Ana Maria Braga contou aos espectadores do "Mais Você" que está recuperada da cirurgia de catarata, feita no último dia 3. "São tipo uns 15 minutos, 20 minutos, é quase um milagre! Quando saí, estava enxergando tudo!", disse.

"A 'máquina' usada começa a dar problema e, de vez em quando, precisa dar um reparo nas peças. Agora, estou vendo de longe e de perto. É uma coisa maravilhosa", brincou Ana Maria.

Aproveitando o caso da apresentadora, a Revista.AG foi atrás de especialistas para explicar um pouco mais sobre a doença. E logo de início já descobrimos que a  catarata está entre as cinco principais doenças oculares. De acordo com oftalmologista da Unimed Vitória Caetano Bellote, o problema aparece quando acontece a opacificação do cristalino — uma lente natural que existe no nosso olho, que é responsável por dar foco quando olhamos para longe e para perto.

Segundo o médico, a catarata age no olho impedindo a penetração da luz e, a partir do momento que vai opacificando e perdendo a transparência, a pessoa perde a qualidade visual e o estado da doença piora. "O paciente refere isso, que enxerga embaçado, amarelado. É algo progressivo e devagar. É a principal interferência da catarata no olho. Em alguns casos, pode desencadear doenças piores como o glaucoma, mas é mais raro", completou o oftalmologista.

O principal sintoma é a visão embaçada, como se a pessoa estivesse olhando por um vidro opaco. "A opacificação, a opacidade nessa lente, é chamada de catarata. A principal causa é relacionada a idade, começa a aparecer após os 60 anos. Todos nós um dia teremos. Uns mais cedo, outros mais tarde", disse.

De acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, o uso de antidepressivos pode antecipar a catarata. "Nem todo antidepressivo prejudica os olhos, só os inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRSs). Acontece porque o cristalino tem receptores de serotonina e o ISRS forma depósitos na lente do olho", explica.

É POSSÍVEL PREVENIR?

Queiroz Neto afirma que não é possível evitar a catarata, mas alguns cuidados mantêm o cristalino transparente por mais tempo.

As dicas do médico são: use óculos com filtro UV nas atividades externas; evite coçar os olhos; durma bem; inclua na sua dieta para melhorar a lágrima e proteger todos os tecidos do olho, folhas verde-escuro, gema de ovo, castanhas, semente de linhaça, frutas e raízes de cor laranja, frutas cítricas, leite e seus derivados.

Antes da cirurgia de catarata, é realizado o exame médico oftalmológico completo
Antes da cirurgia de catarata, é realizado o exame médico oftalmológico completo. Crédito: Pixabay

QUANDO SABER A HORA DE OPERAR?

Quando a catarata interfere nas atividades normais do indivíduo, o cristalino embaçado pode ser substituído por lentes artificiais transparentes, que são colocadas por meio de cirurgia. Caetano afirma que o momento de operar é a partir de quando o paciente identifica a visão prejudicada.

"Enquanto ele não reclama muito, pode esperar até que comece a interferir no dia a dia. O tratamento é cirúrgico, não existe remédio. Já lançaram medicamentos para retardar o aparecimento e progressão da doença, mas não funcionaram", compartilhou.

Cirurgia de catarata no Hospital de Olhos de Vitória
Cirurgia de catarata no Hospital de Olhos de Vitória. Crédito: Divulgação/ Hospital de Olhos de Vitória

Queiroz Neto afirma que para enxergar bem na maioria das atividade do dia a dia a melhor opção é a lente EDOF de foco estendido. Significa que proporciona boa visão a meia distância e longe. A visão de perto é menor e requer uso de óculos para ler textos menores. 

“Caso você passe a maior parte do tempo no computador e não gosta de usar óculos, o mais indicado é o implante da trifocal que divide a luz em três pontos focais - perto, meia distância e longe”, afirma

A Gazeta integra o

Saiba mais
ana maria braga doenca Oftalmologista

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.