ASSINE

Capixabas no Pan: o sonho virou realidade para Vangelys Reinke

Remador do Flamengo vai para o seu primeiro Pan-Americano, justamente a competição que fez o capixaba não desistir do esporte há alguns anos

Publicado em 23/07/2019 às 12h29
Vangelys Reinke, remador capixaba do Flamengo. Crédito: Acervo pessoal
Vangelys Reinke, remador capixaba do Flamengo. Crédito: Acervo pessoal

A jornada foi árdua, mas enfim o sonho chegou. Aos 28 anos, o capixaba Vangelys Reinke, remador do Flamengo e da seleção brasileira, vai disputar o seu primeiro Pan-Americano da carreira. E foi justamente a competição de Lima, no Peru, que motivou o atleta a não desistir do esporte há cerca de dois anos.

Orgulho é a palavra que hoje define o sentimento de Vangelys ao olhar para trás e ver todo o caminho que trilhou até o Pan.

“A expectativa é muito grande. A sensação de ter conseguido, de ter largado toda a minha vida no Espírito Santo em 2017 para uma tentativa. Já me consideravam sênior, estava com idade avançada para brigar contra caras que já estavam dentro da seleção há muito tempo. Cheguei em 2017 no Rio, em 2018 já entrei na seleção e esse ano já virei um dos favoritos dentro da seleção para disputar essa prova, quatro sem peso leve”.

Remador capixaba Vangelys Reinke foi medalha de prata no Pré-Pan. Crédito: Acervo pessoal
Remador capixaba Vangelys Reinke foi medalha de prata no Pré-Pan. Crédito: Acervo pessoal

A ficha começou a cair que o Pan seria uma realidade quando Vangelys conquistou a prata no Pré-Pan, em 2018. De lá para cá, uma evolução de arrepiar, principalmente coma chegada do técnico alemão Bernhard Stomporowsi, em um megainvestimento do Flamengo.

“A diretoria falou que quer ser campeã na terra e no mar. O Bernhard veio com um modelo de treinamento que nenhum atleta brasileiro já havia passado antes na vida."

Remador capixaba Vangelys Reinke (atrás) com o parceiro Emanuel Borges. Crédito: Acervo pessoal
Remador capixaba Vangelys Reinke (atrás) com o parceiro Emanuel Borges. Crédito: Acervo pessoal

E os resultados não demoraram a aparecer. "Na nossa primeira regata do Estadual esse ano, conseguimos uma vitória com índice de campeão pan-americano. Fizemos 6:03 no quatro sem peso leve, o melhor tempo na Lagoa (Rodrigo de Freitas) com esse barco. Também tivemos ótimos outros resultados, tanto que das 20 vagas da seleção, 15 foram preenchidas por atletas do Flamengo.”

A Gazeta integra o

Saiba mais
capixaba flamengo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.