ASSINE

Flamengo bate o Bahia em jogo de sete gols, duas viradas, expulsões e acusação de racismo

Eletrizante, duelo marcou a despedida do Fla ao Maracanã em 2020. Após o apito final, Gerson desabafou e apontou uma injúria racial proferida por parte de Ramírez, do Bahia...

Publicado em 20/12/2020 às 17h31
Atualizado em 20/12/2020 às 22h30

Os torcedores de Flamengo e Bahia que acompanharam o jogo deste domingo, no Maracanã, não saíram os mesmos. Válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, o confronto reservou emoções do início ao fim, com direito a duas viradas, sete gols e duas expulsões. E a virada fatal veio através de um bravo Rubro-Negro, que se superou com um a menos durante boa parte da peleja e venceu por 4 a 3, com gols de Bruno Henrique, Isla, Pedro e Vitinho. Gilberto (2) e Índio Ramírez marcaram para o Tricolor. E o jogo não ficou só na esfera esportiva. Houve um episódio lastimável. Gerson relatou uma injúria racial proferida por Índio Ramírez, do Bahia, no segundo tempo.

Quer golaço? Teve. Quer expulsão da estrela do favorito? Teve. Até os dez minutos, Bruno Henrique já havia aberto o marcador depois de um golaço de fora da área, após o Flamengo recuperar a bola com João Gomes, e um cartão vermelho aplicado a Gabriel Barbosa.

Gabigol teria, supostamente, xingado o juiz Flávio Rodrigues de Souza, que paralisou a jogada para expulsar o atacante, sem titubear. A partir daí, o Bahia, que estava acuado, passou ter a bola e alugar o campo defensivo do Fla.

Até o intervalo, apesar de não ter igualado o marcador, o Bahia obrigou Diego Alves a trabalhar, à queima-roupa, em duas oportunidades (com Nino Paraíba e Gilberto). Com um a menos, o Flamengo é quem mudou a estratégia, passando a recuar as linhas de marcação para estocar pontualmente.

PONTUAL E DECISIVO

Em um período de pressão sofrida, na casa dos 30 minutos do primeiro tempo, Gerson lançou Bruno Henrique com uma precisão admirável, entre os zagueiros. O camisa 27 usou o corpo para deixar Juninho a comer poeira e serviu Isla, que pisou na área e não desperdiçou a chance de marcar o seu primeiro gol pelo Rubro-Negro: 2 a 0.

E, de repente, o jogo pendeu para um roteiro de filme clichê, onde o azarão (à la "Rocky Balboa") se levanta da lona quando ninguém mais esperava. Com o Bahia, houve a necessidade apenas 13 minutos no segundo tempo para virar (!) o jogo. Gilberto duas vezes, sendo o primeiro após uma pintura de fora (ainda mais bela do que a de Bruno Henrique).

TRISTE DENÚNCIA

O gol que deu início à reação do Tricolor foi de Índio Ramírez, que passou a provocar Gerson e Bruno Henrique, em meio à recuperação dos visitantes. O jogo ganhou tornou-se um antro de adrenalina.

O jogo caminhava-se para o ato final. Eletrizante, o duelo ainda estava longe de perder em emoção. O Flamengo, tendo Pedro como trunfo saindo do banco, se atirou para amenizar o prejuízo e deixou naturais espaços - Diego Alves teve que brilhar novamente, por exemplo. Estava tudo em aberto.

O Maracanã queria mais. E o Flamengo sabe os caminhos do palco... Empatou. E virou. Pedro marcou de peito para empatar, depois de cruzamento de Filipe Luís. E de peito estufado lá foi o time de Rogério Ceni para não deixar escapas os três pontos. Já aos 44, Vitinho, que também havia entrado no segundo tempo, recebeu lindo passe de Pedro e tocou por cobertura: 4 a 3. Ufa...

O jogo teve de tudo e deixou o Flamengo com cinco pontos a menos em relação ao São Paulo, líder. O Bahia, por sua vez, fica em 16º e na beira do Z4.

NOTA-FICHAFLAMENGO X BAHIA - 26ª RODADA DO BRASILEIROEstádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)Data: 20 de dezembro de 2020, às 18h15Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (Fifa-SP)Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa-SP)Árbitro de vídeo: Jose Claudio Rocha Filho (SP)Gramado: BomCartões amarelos: Filipe Luís (FLA) / Juninho Capixaba, Gilberto, Rodriguinho (BAH)Cartões vermelhos: Gabigol (FLA) / Daniel (BAH)

GOLS: Bruno Henrique, 4'/1ºT (1-0); Isla, 32'/1ºT (2-0); Índio Ramírez, 6'/2ºT (2-1); Gilberto, 10'/2ºT (2-2), 13'/2ºT (2-3); Pedro, 36'/2ºT (3-3); Vitinho, 44'/2ºT (3-4).

FLAMENGO (Técnico: Rogério Ceni)Diego Alves; Isla (Vitinho, 39'/2ºT), Rodrigo Caio, Natan e Filipe Luís; João Gomes (Matheuzinho, 43'/2ºT), Gerson, Everton Ribeiro (Diego, 43'/2ºT) e Arrascaeta (Pedro, 25'/2ºT); Bruno Henrique e Gabigol.

BAHIA (Técnico: Mano Menezes)Douglas; Nino Paraíba, Ernando, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Edson (Daniel, 12'/2ºT) e Ramon (Gabriel Novaes); Índio Ramirez, Rossi e Gilberto.

bahia flamengo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.