ASSINE

Recuo do mar chama atenção em praia de Marataízes

Com histórico de forte erosão, Praia da Barra agora apresenta grande faixa de areia. Especialista explica o que pode ter acontecido

Publicado em 26/07/2019 às 16h08

Um fenômeno na Praia da Barra, em Marataízes, Litoral Sul do Espírito Santo, tem chamado atenção. O local, com problemas históricos de erosão, apresentou na última semana um grande recuo do mar. Foi formada uma expressiva faixa de areia em trecho que era comum ver a força das ondas e sua destruição. 

COMO ERA

Barra de Marataízes, em 2016. Crédito: Ercilia Bueno Bassani
Barra de Marataízes, em 2016. Crédito: Ercilia Bueno Bassani

COMO FICOU


O vídeo foi feito pela moradora Ercilia Bueno Bassani, no dia 24 de julho. "Contei 78 passos largos. Quase 100 metros de areia. Antigamente, levava meus filhos pequenos na praia era assim, com muita areia. Depois, em 2015 e 2016, houve grande erosão e a prefeitura teve que fazer um paredão de pedras”, lembra a moradora.

O QUE ACONTECEU?

De acordo com o oceanógrafo Alex Bastos, o que pode ter acontecido na praia é que a energia das ondas (tamanho e força) ou das correntes litorâneas transportaram um grande volume de areia para a praia, reconstruindo a faixa de areia.

“O padrão da dinâmica da praia é também função de como as ondas chegam na costa, ou seja, o ângulo que fazem com a costa, a direção de onde estão vindo. Podem existir algumas explicações para uma praia sofrer erosão em uma ressaca, enquanto outra recebe o aporte de areia. Isso depende da relação entre direção da costa, direção das ondas e energia”, explica o especialista.

Bastos afirma ainda que certamente isso aconteceu na praia de Marataízes porque a última ressaca do mar teve características um pouco diferentes das ocorridas em frentes frias mais comuns. Desta vezes, as ondas ficaram bem mais altas, e fortes. No caso da praia da Barra, houve um aumento da extensão de areia trazida pelas ondas. 

MONITORAMENTO

“Agora é uma questão de ver como a praia se comportará durante os próximos meses. É possível que durante um bom tempo ela se comporte diferente e volte a ser mais curta. Isso vai depender do padrão de ondas e vento na região”, explicou Alex Bastos.

A Prefeitura de Marataízes foi acionada pelo Gazeta Online, mas não deu retorno até a publicação desta matéria. Em caso de resposta, a reportagem será atualizada.

A Gazeta integra o

Saiba mais
espírito santo mar marataízes ressaca

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.