ASSINE

Toffoli critica lei para retirada de conteúdo da web

Para o presidente do Supremo, a aplicação da pena é bastante limitada

Publicado em 26/09/2019 às 02h46
Atualizado em 26/09/2019 às 06h12
Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli. Crédito: Rosinei Coutinho/SCO/STF
Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli. Crédito: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, criticou nesta quarta-feira (25), as penas aplicadas no Brasil para quem descumprir decisão judicial de retirada de conteúdo "manifestamente ilegal" na internet. Ao citar a lei alemã, cuja multa é de até 50 milhões de euros para casos semelhantes, Toffoli afirmou que na legislação brasileira "são mais de três dígitos a menos".

"Com todo respeito ao Congresso Nacional, comparado com legislações de outros países, fixou pena, mesmo para aplicação exclusiva do Judiciário, bastante limitada", disse Toffoli ao participar em seminário sobre Fake News na Câmara dos Deputados.

Toffoli afirmou ainda que o STF deve julgar em dezembro uma ação que terá impactos diretos no funcionamento de plataformas digitais em relação à retirada de conteúdo do ar. O processo, em que Toffoli é relator, discute a constitucionalidade de um dos artigos do Marco Civil da Internet que exige prévia ordem judicial de exclusão de conteúdo danoso para o provedor de aplicativo, se não retirá-lo, ser responsabilizado na esfera civil. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
fake news

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.