> >
Tensão em Itararé: mais um dia de tiros em Vitória

Tensão em Itararé: mais um dia de tiros em Vitória

Bairro soma desde terça-feira tiroteios com duas mortes, o que acende alerta das autoridades de segurança sobre a retomada da guerra do tráfico após prisão de Marujo

Publicado em 11 de abril de 2024 às 17:18- Atualizado há um mês

Ícone - Tempo de Leitura 3min de leitura

A região de Itararé, em Vitória, vive momentos de tensão e de insegurança nos últimos dias. Após duas mortes violentas serem registradas no bairro, mais um episódio ocorreu nesta quinta-feira (11): disparos de armas de fogo foram dados nos arredores do prédio da Secretaria Municipal de Educação. Segundo a Polícia Militar, suspeitos teriam, inclusive, invadido a área do imóvel da prefeitura.

A corporação detalhou ainda que a ocorrência teve início no bairro Engenharia, no momento em que militares faziam um patrulhamento. Ao se depararem com guarnições da Força Tática, dois indivíduos começaram a efetuar tiros. Houve um confronto, e os suspeitos conseguiram fugir pelos becos. Foi durante a fuga que entraram na secretaria, conforme explicou a PM. 

Um dos indivíduos foi baleado com dois disparos na perna e socorrido pela corporação. O outro foi detido. "Com o baleado foi apreendida uma pistola. O outro indivíduo dispensou um armamento".

Acionada pela reportagem, a Secretaria de Educação confirmou que teve o prédio invadido, mas que tiros não foram disparados no local.

Susto

Uma testemunha — que prefere não se identificar, mas estava no prédio da Secretaria Municipal de Educação — contou ao portal A Gazeta que tudo aconteceu por volta das 16h30. “Nós estávamos numa sala e ouvimos uns quatro tiros bem perto. Todos abaixamos. Uma colega foi até a porta para fechar, mas quando olhamos pela janela, vimos um homem correndo aqui dentro, já no espaço da secretaria”, afirmou.

A Polícia Civil foi procurada para dar mais detalhes da ocorrência. Se houver retorno, este texto será atualizado.

Conflitos na região

As duas mortes em dois dias seguidos em Itararé acendem um alerta para a segurança pública na Capital. Os assassinatos ocorreram há pouco mais de um mês desde a prisão de Fernando Moraes Pereira Pimenta, o Marujo, que era o traficante mais procurado do Espírito Santo e líder do Primeiro Comando de Vitória (PCV). A facção criminosa tem como principal área de atuação o bairro da Penha e disputa com o Terceiro Comando Puro (TCP), o tráfico da região de Itararé.

A CRONOLOGIA RECENTE

+ Detalhes

A colunista Vilmara Fernandes, de A Gazeta, narra em primeira mão outras possibilidades do que pode estar por trás dos primeiros assassinatos após a prisão de Marujo e como os crimes acendem alerta total para as autoridades.
► Clique aqui para ler a coluna

O secretário de Estado da Segurança Pública, Eugênio Ricas, diz que ainda é cedo para afirmar que as mortes são resultados da disputa entre as facções, mas que uma das linhas de investigação considera a possibilidade de que Marujo possa estar dando ordens para execuções mesmo estando preso.

Errata Correção
12 de abril de 2024 às 12:24

A versão anterior da reportagem errou ao informar que foram registrados também dois assassinatos na semana passada em Itararé e no bairro Bonfim. Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública, o último homicídio em Itararé — antes das execuções desta semana — ocorreu em 23 de fevereiro. No outro bairro, o último registro é de 5 de julho de 2023. O texto foi corrigido. 

Este vídeo pode te interessar

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rapido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta

A Gazeta integra o

The Trust Project
Saiba mais