ASSINE

Justiça mantém prisão de marido que arrancou dedo da esposa no ES

Homem de 48 anos foi preso na UPA do Marbrasa, em Cachoeiro de Itapemirim, após funcionários da unidade que atenderam a mulher denunciarem o caso à polícia

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 13/09/2021 às 17h53
Mulher tem parte do dedo amputado por mordia de companheiro
Mulher tem parte do dedo amputado por mordia de companheiro. Crédito: Samuel Braz/ TV Gazeta Sul

A Justiça manteve a prisão em flagrante e a fiança fixada para o homem de 48 anos que arrancou parte do dedo da mão da esposa com uma mordida, além de agredi-la com socos nos ombros, no rosto e na cabeça ao voltar de um passeio em Rio Novo do Sul, região Sul do Espírito Santo, na noite do último domingo (12). O agressor foi preso na Unidade de Pronto Atendimento do Marbrasa, em Cachoeiro de Itapemirim, após funcionários da unidade que atenderam a mulher denunciarem o caso à polícia.

Em decisão expedida na tarde desta segunda-feira (13), o juiz da vara única de Rio Novo do Sul, Ralfh Rocha de Souza, informou que o homem não passou por audiência de custódia, frisando que "a unidade onde o autuado encontra-se custodiado situa-se a quilômetros de distância" da comarca e homologando a prisão em flagrante e a fiança fixada em R$ 1 mil. O prazo para o recolhimento da fiança é de até 72h a partir da decisão.

Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) foi procurada pela reportagem e informou que o homem de 48 anos segue preso no Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro de Itapemirim. 

RELEMBRE O CRIME

Uma mulher de 45 anos teve parte de um dos dedos da mão arrancada por uma mordida do marido na noite do último domingo. Ela também foi agredida com socos nos ombros, no rosto e na cabeça e teve um dente quebrado.

Em entrevista ao repórter Vinícius Rangel, da TV Gazeta Sul, a mulher contou que a briga do casal começou após ela questionar o marido por ciúmes. “Ele começou a dar em cima de uma mulher. Não gostei, discutimos e ele começou a me agredir. Me deu um tapa no rosto, machucou minha cabeça. A agressão foi dentro do carro, na frente do filho de 4 anos, que tentou tirar ele de cima de mim. Pedi para ele parar, que estava na frente do menino. Achei que ia morrer”, contou.

Com a mordida, a mulher teve metade da falange do dedo mínimo esquerdo arrancado. Ela pediu que o marido a levasse a um pronto-socorro. Ele acabou detido no estacionamento da UPA do Marbrasa e foi levado para a delegacia.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.