ASSINE

Poda de árvores provoca invasão de andorinhas no centro de São Gabriel da Palha

Poda realizada nas árvores da praça da igreja matriz do município fez com que milhares de andorinhas procurassem por abrigo em fios, terraços e casas,  gerando muito mau cheiro, barulho e revoadas incessantes

Publicado em 31/03/2020 às 11h35
Atualizado em 31/03/2020 às 12h14
As andorinhas estão dormindo nos fios e casas e fazem revoadas em vários momentos do dia em São Gabriel da Palha
As andorinhas estão dormindo nos fios e casas e fazem revoadas em vários momentos do dia em São Gabriel da Palha. Crédito: Reprodução

As andorinhas voltaram... e causaram uma grande dor de cabeça nos moradores e pessoas que ficam na região da Paróquia Arcanjo São Gabriel, no centro de São Gabriel da Palha, cidade localizada no Noroeste do Espírito Santo.

Diferentemente da canção eternizada pelo Trio Parada Dura, as aves não puderam voltar para os velhos ninhos porque oito árvores que ficam na Praça São Gabriel, onde fica a igreja matriz do município, foram podadas nesta segunda-feira (30). Sem encontrar o local onde costumavam repousar, as andorinhas lotaram fios de energia elétrica, postes e até terraços de muitas casas próximas.

"É uma quantidade muito grande de andorinhas, são milhares. Elas já estão aqui há um tempo, e com esse corte que fizeram nas árvores elas ficaram mais agitadas ainda. Virou um problema, pois defecam nas ruas, fazem barulho e fica um cheiro muito ruim. Tenho um ponto comercial próximo. A situação só não está pior porque a maioria das pessoas está em quarentena, então a movimentação é pequena", contou o empresário Gederson de Souza, de 30 anos.

PEDIDO DE MORADORES

Há pouco mais de três anos à frente da paróquia, o Padre Fernando Forza explicou que contratou uma empresa para realizar a poda das árvores a pedido de vizinhos da igreja, especialmente os idosos, receosos com problemas respiratórios por doenças que podem ser transmitidas por aves.

As andorinhas tinham por hábito repousarem nos oito oitis que ficam na praça da igreja matriz de São Gabriel da Palha
As andorinhas tinham por hábito repousarem nos oito oitis que ficam na praça da igreja matriz de São Gabriel da Palha. Crédito: Reprodução/Google Maps

"Procuramos a prefeitura da cidade para que nos autorizassem a realizar o serviço. Tivemos o aval e contratamos uma empresa para fazer a poda. Essas aves sempre ficavam nesses oitis e sujam as ruas e a parte que fica abaixo das árvores. Como é uma quantidade muito grande, ficava um mal-cheiro e também muita sujeira, o que incomodava e até certo ponto preocupava os vizinhos. Algumas pessoas nos procuraram e tentando atender e solucionar esse problema, foi feita a poda", explicou o líder religioso.

De fato houve autorização da prefeitura para o serviço, como garantiu o secretário de Meio Ambiente de São Gabriel da Palha, Getúlio filho. Ele explicou, contudo, que a pode realizada foi um pouco além da que deveria ser feita e entrará em contato com a igreja para solucionar o problema.

"O serviço autorizado era uma poda padrão, ornamental, mas cortaram um pouco a mais, o que fez com que as andorinhas procurassem outro abrigo. Nesse sentido, vamos agilizar o serviço de limpeza principalmente nas ruas do entorno da igreja para amenizar a situação. Conheço o padre Fernando, ele é muito ativo e demonstra preocupação com as questões do município. Tenho certeza que ele agiu para melhorar a situação, mas não ocorreu como o esperado. Vou procurá-lo e orientar que seja feita a substituição dos oitis por quaresmeiras. Elas são mais indicadas para áreas urbanas, pois as raízes não quebram calçadas, a copa é mais aberta e também dão flores bonitas, colaborando com o paisagismo", contou o secretário.

AVES MIGRATÓRIAS

O biólogo Fabrício Eller disse que as andorinhas são aves migratórias e que a poda deveria ter ocorrido antes do verão.

"Algumas espécies de andorinhas são migratórias sazonais, voando do sul para o norte no outono. Pelo comportamento natural da espécie, elas pousam para descansar e dormir nas copas de árvores que são mais fechadas, o que protege melhor o bando, como é o caso dos oitis, espécie de árvore mais comum na arborização urbana das cidades capixabas. É natural que as aves busquem outros poleiros caso as podas sejam muito radicais. Nesses casos, elas irão procurar repousar em fios e telhados. A recomendação para poda de árvores deve ser antes do verão, no início do período chuvoso, pois, além de ser melhor para a planta, cria poleiros e dormitórios para espécies migratórias durante a época de migração", detalhou.

Sobre a possibilidade de transmissão de doenças, o biólogo explicou que os riscos são mínimos. "Embora as aves migratórias sejam vetores potenciais de doenças, estudos indicam que as espécies com hábitos aquáticos possuem um maior potencial patogênico de transmissão de vírus à saúde humana, como o da influenza. Isso, contudo, é improvável", frisou Fabrício.

Por fim, o biólogo tranquiliza os moradores e afirma que o maior incômodo mesmo seja o barulho feito pelas andorinhas pousadas nos fios e terraços das casas. Essa situação só deverá ter um fim quando as aves seguirem suas rotas de migração, o que deve ocorrer em algumas semanas.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.