ASSINE

Ônibus sem cobrador: Sindirodoviários teme demissões e promete greve

Ônibus do Transcol com ar-condicionado circularão apenas com motoristas. Categoria teme demissões; secretário nega cortes

Publicado em 26/06/2019 às 19h36
Novos ônibus do Transcol com ar-condicionado. Crédito: Fernando Madeira | GZ
Novos ônibus do Transcol com ar-condicionado. Crédito: Fernando Madeira | GZ

Após a divulgação de que os novos ônibus do Transcol com ar-condicionado vão circular sem cobradores — porque neles somente serão aceitos passageiros com cartão do Bilhete Único, o Sindicato dos Rodoviários promete uma greve geral, ainda sem data definida. A categoria teme perda de postos de trabalho, já que os novos veículos somente circularão com motorista.

Vinte coletivos começam a operar na Grande Vitória nos próximos dias. Até o final do ano serão 100 ônibus e, até 2022, 600 coletivos. De acordo com o Sindirodoviários, com a extinção dos cobradores, cerca de quatro mil profissionais ficarão desempregados, considerando que são quatro turnos para operação.

AS MUDANÇAS NO NOVO TRANSCOL

 1.  Todos os ônibus com ar-condicionado vão funcionar sem cobradores

 2.  O meio de pagamento da passagem será exclusivamente via cartão do Bilhete Único

Por nota, o Sindirodoviários lamentou as alterações. Disse que “os cobradores são essenciais para um transporte coletivo de qualidade, pois além de auxiliar o motorista, prestam um importante serviço aos usuários, dando informações, orientações e auxiliando os usuários com dificuldades de locomoção, deixando o motorista livre apenas para dirigir”.

O Sindirodoviários também destacou que o custo da mão-de-obra do cobrador já está sendo pago pela atual tarifa, portanto, mantê-los nos coletivos com ar-condicionado não traz nenhum prejuízo para os empresários.

SEM DEMISSÕES, DIZ SECRETÁRIO

O secretário de Transportes e Obras Públicas, Fábio Damasceno, negou que o pagamento da tarifa via bilhete único é uma forma de acabar com a função de cobrador nos coletivos. Disse também que não haverá demissões. 

Fábio Damasceno garante que mudança não implicará em demissões de rodoviários. Crédito: Vitor Jubini | GZ
Fábio Damasceno garante que mudança não implicará em demissões de rodoviários. Crédito: Vitor Jubini | GZ

“Não é para eliminar cobradores. A tendência é transferir o cobrador para outras funções. Como temos o bilhete único, eles podem ser bilheteiros de estações para ajudar na implantação do sistema. Agora não terá demissão nenhuma. É uma quantidade muito pequena perto da frota, que é de 1.600 ônibus", finalizou.

A Gazeta integra o

Saiba mais
grande vitória greve ônibus sindirodoviários transcol

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.