ASSINE

Mesmo aposentado, policial trabalha para manter jovens longe das drogas

Através de palestras e eventos, Expedito Jorge conscientizar jovens e adolescentes dos riscos do uso de entorpecentes

Publicado em 03/09/2019 às 18h25
Expedito Jorge Tavares de Souza, 65 anos, é policial federal aposentado. Crédito: Gislan Vitalino
Expedito Jorge Tavares de Souza, 65 anos, é policial federal aposentado. Crédito: Gislan Vitalino

Conscientizar jovens e adolescentes dos riscos do uso de drogas é a missão de Expedito Jorge Tavares de Souza. Com 65 anos, dos quais 42 se dedicam ao trabalho na Polícia Federal, ele coordena atualmente o Núcleo de Prevenção de Drogas da PF e realiza palestras e eventos educativos em escolas de comunidades carentes.

As palestras são parte do Programa Consciência Cidadã, resultado de uma parceria entre a Polícia Federal, a Secretaria Municipal de Educação de Vila Velha e grupos maçons. Expedito conta que o trabalho nas escolas é motivador, pois percebe que o problema faz parte da vida dos alunos. “Enquanto a gente fala, vai percebendo alguns deles concentrados e emocionados, o que mostra que a questão das drogas é um problema presente pra alguns alunos. E aqui a gente oferece um caminho que pode ajudar nisso”, afirma.

Uma das instituições atendidas pelo programa é a Escola Municipal de Ensino Fundamental Joffre Fraga, no bairro Vale Encantado, em Vila Velha. A diretora da instituição, Marlúcia Schimith Lima, conta que os estudantes ficam muito impactados pela palestra.

Marlúcia Schimith Lima, diretora da escola

Eles gostam muito desse momento, porque o assunto é trabalhado de forma muito clara e esclarecedora

A diretora acrescenta que a palestra é crucial, mas que o trabalho de conscientização do programa é contínuo. “É um trabalho que não termina aqui. A gente continua abordando o tema durante todo o ano e no final eles fazem um trabalho que mostra o que aprenderam”, ressalta.

Marlucia Schimith Lima, Diretora em UMEF Joffre Fraga. Crédito:  Gislan Vitalino
Marlucia Schimith Lima, Diretora em UMEF Joffre Fraga. Crédito: Gislan Vitalino

Para Expedito, o resultado do trabalho vai além da conscientização, é capaz de transformar vidas. “Nós temos muitos casos de pessoas que deixaram as drogas porque vieram pedir ajuda depois assistirem as palestras. Quando alguém nos procura, a gente encaminha para uma orientação, acompanha. Por isso,  hoje temos pessoas que são profissionais formados, chefes de família. Isso é muito motivador”.

O programa, segundo Expedito, trabalha questões além das drogas e que podem gerar problemas relacionados. “Abordamos o bullying e o empreendedorismo, por exemplo. São mais de 20 temas em diversas escolas da Grande Vitória”.

Neste mês, o programa Consciência Cidadã está levando jovens para dentro da "casa" da Polícia Federal. Ao todo 2.700 alunos das escolas públicas de Cariacica vão visitar à sede, assistir a palestras, conhecer cães farejadores e as viaturas policiais. 

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
drogas

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.